Como são os passeios pelo Vale Sagrado dos Incas

Vale Sagrado dos Incas
    
Vale Sagrado está às margens do rio Urabamba, rio que os Incas consideravam sagrado, daí o nome. A região, que fica nas proximidades da cidade de Cusco, foi escolhido pelos Incas devido a geografia e clima para viverem e desenvolverem  a agricultura e assim abastecer o império. Construíram povoados, cidades, templos e fortalezas, alguns desses lugares resistiram ao tempo e existem até hoje, outros fazem parte de sítios arqueológicos e que entraram  nos roteiros turísticos dos passeios que saem principalmente da cidade de Cusco. 
    
 
Foi em Cusco que eu também fiquei hospedado. Considerando o dia que fui a Machu Picchu, foram 06 na região. 03 dias fiz os principais passeios do Vale Sagrado, 01 dia conheci a cidade perdida de Machu Picchu e tive 02 dias livres para conhecer um pouco de Cusco. Devido a altura (3400 metros) é sempre recomendado que o primeiro dia seja reservado para adaptação, descansar  e se for fazer algum passeio que seja bem leve. Como eu estava vindo de lugares altos (Puno, Valle del Colca) não tive problemas e aproveitei a manhã para providenciar os passeios, comparar Boleto Turístico que dá acesso a vários atrativos, trocar passagem de trem e ingresso de Machu Picchu devido a uma manifestação nas estradas que fez eu alterar a minha programação.

Vale Sagrado dos Incas
Basílica Catedral de Cusco

Como fazer os passeios?

Li tantas dicas legais de roteiros para conhecer a região que queria fazer todos. Para aproveitar melhor o tempo e conhecer mais lugares possíveis pensei numa opção muito comum que é contratar um guia de turismo já com carro, mas estava sozinho e não rolou devido os valores. Acabei fazendo os passeios com as agências de turismo (tem várias na cidade), que também oferecem passeios privados, mas fiz os passeios tradicionais que visitam alguns atrativos e saem diariamente em grupo com um guia de turismo. Tem também a opção de fazer por conta própria usando ônibus, mas nem passou pela minha cabeça de fazer dessa forma. Primeiro porque não queria me preocupar como fazer e segundo porque queria ter o acompanhamento de um guia.

São basicamente quatro passeios oferecidos, um por dia, que visitam os principais lugares e sítios arqueológicos. Contratando um guia de turismo com carro você otimiza o tempo e consegue fazer todos em três dias. Se puder escolha esta opção, você irá aproveitar mais as visitas e poderá conhecer os atrativos em horários alternativos fora do tumulto dos grupos.   
    

Ingressos

Em alguns atrativos você irá pagar o ingresso na bilheteria, para visitar outros você irá precisar do BOLETO TURÍSTICO. Existe o boleto turístico geral que inclui 14 atrativos, vale para 10 dias e custa 130 soles (70 para estudantes), e existe o boleto turístico parcial que é dividido em circuitos incluindo menos atrativos, vale para 01 ou 02 dias conforme o circuito e custa 70 soles (não tem preço diferenciado para estudantes). Ele pode ser comprado em lugares específicos na cidade ou em qualquer um dos 14 atrativos contemplados. Para fazer a os passeios no Vale Sagrado e outros lugares em Cusco eu precisei do boleto geral. Veja todos os detalhes do boleto AQUI.
    
   Vale Sagrado dos IncasPátio do convento São Domingos construído sobre as ruínas do Templo Inca Qoricancha
      

OS PASSEIOS

Fiz três passeios e gostei dos lugares que conheci e achei que foi de bom tamanho para o tempo que eu tinha pois queria aproveitar Cusco. Fiz do menos para o mais interessante finalizando com Machu Picchu que fiz por conta própria.

City Tour Cusco

Fiz no primeiro dia. Teve início às 14 horas com visita interna da Basílica Catedral, algumas agências não visitam a Catedral, verifique antes. Dali fomos caminhando ao Qoricancha, antigo templo do sol, um dos mais importantes do império Inca que foi destruído e saqueado pelos colonizadores espanhóis e sobre as ruínas construíram a Igreja e Convento de São Domingos. Dali seguimos de micro ônibus para visitar três sítios arqueológicos próximos da cidade. Saqsayhuaman, me impressionou pelo tamanho. Uma espaçosa praça cercada por muros grandiosos de pedras com encaixes perfeitos (comum na engenharia Inca), muitas pedras pesando toneladas foram levadas de quilômetros dali para construção da fortaleza;  Q’engo, nesse chamou a minha atenção foi a sala mortuária onde eram realizados sacrifícios. O último foi Tambomachay local de culto a água, com nichos e fontes, usados pela nobreza para banhos rituais. Já estava escuro quando no retorno a Cusco foi feita uma parada para compra de produtos feitos de lã.

É um passeio de aproximadamente 4 horas e meia, oferecido pela manhã e à tarde, mas pelo que vi parece que é mais comum à tarde já que é indicado para o primeiro dia pois muita gente chega ou descansa pela manhã. Viajei em setembro e havia muita gente nos locais, talvez seja melhor pela manhã. É um passeio leve, mas mesmo assim a altitude incomodou na pequena caminhada feita em Tambomachay que está 3.700m de altitude. Os ingresso dos sítio arqueológicos fazem parte do Boleto Turístico, o da catedral e Qoricancha custam respectivamente 25 e 15 soles. O Tour tem de vários valores partir, paguei 20 soles.

Valeu fazer o tour para conhecer os sítio que estão fora da cidade, o que mais gostei foi o Saqsayhuaman. A Catedral e o Qoricancha são lugares incríveis, mas tiveram as visitas prejudicadas. Na Catedral havia vários grupos, vários guias falando ao mesmo tempo, a nossa guia sabia todos os detalhes, mas não dava tempo pra gente respirar e aproveitar o lugar, foi corrido. No Qoricancha a situação ia se repetir então avisei que não ia acompanhá-la  e fiz a visita no sentido contrário. Como esses atrativos ficam dentro da cidade, é melhor ir conhecer num horário alternativo.   
   
   
Vale Sagrado dos Incas       
page1_thumb   
Vale Sagrado dos Incas        

Maras, Moray e Salinas

Esse passeio fiz no segundo dia e ele leva principalmente a dois lugares que não sei qual impressiona mais. Se são os grandes círculos de Moray ou o cenário branco formado pelas inúmeras Salinas de Maras. Moray é um sítio arqueológico Inca semelhante a uma imenso e profundo anfiteatro escavado no chão em degraus. Muitos defendem a ideia de que Moray foi local de experiências agrícolas onde os degraus funcionavam como terraços em que cada um deles era plantado um tipo de alimento conforme a necessidade do solo. As salinas de Maras são várias lagoas de sal  que existem desde a época dos Incas. São tantas que são vistas de longe e é curioso ver sal num lugar tão alto e longe do mar, mas isto acontece graças a uma fonte de água subterrânea. Durante o Tour acontece um parada na praça da cidade de Maras por alguns minutos para fotos ou ir no mercadinho. 

Algumas agências fazem no início desse passeio uma parada no povoado de Chinchero. Fazem Isto porque Chinchero está no roteiro de Pisac e Ollantaytambo e é visitado no retorno a Cusco e muita gente fica em Ollanta para seguir até Machu Picchu (foi o meu caso). Queria muito conhecer o povoado que é um dos mais tradicionais do vale, então procurei uma agência o fizesse, mas a parada aconteceu num ponto de comércio onde foi mostrado como é o tingimento das lãs e não no sítio arqueológico como imaginava. Pergunte tudo antes de comprar o passeio.

O passeio sai por volta das 09 horas e retorna às 15 horas e não tem parada para almoço, então leve alguma coisa. Paguei 25 soles pelo passeio com transporte e guia. Maras não faz parte do boleto turístico e o ingresso custa 10 soles. Já que retorna cedo, o passeio poderia ser feito com mais tranquilidade e para piorar o colega guia nos apressava passando a ideia de estávamos sempre atrasados, além de não parar de falar, falava muito, falou o tempo todo.  

Vale Sagrado dos Incas   
   
Vale Sagrado dos Incas    
   
Vale Sagrado dos Incas            
 

Pisac - Ollantaytambo

A primeira parada do terceiro dia de passeio aconteceu num mercado como tantos outros na região. Depois seguimos para Pisac indo direto ao sítio arqueológico que lembra Moray pois tem o chão também em degraus. O que difere são as ruinas das construções que formavam a cidade, um complexo divido em área militar, religiosa e residencial. Pisac também é famosa pelo mercado de artesanato, na volta das ruínas paramos numa feira na cidade  e em seguida almoçamos em Urubamba. Após o almoço fomos a Ollantaytambo, cidade que fica no outro extremo do Vale Sagrado. Passamos pelas ruas estreitas da cidade para chegarmos ao sítio arqueológico, um dos mais fascinantes do vale, que fica no alto de montanhas e que para chegar lá é preciso encarar uma escadaria. De Ollanta o grupo retorna a Cusco parando antes no povoado de Chinchero, algumas pessoas não retornam e ali embarcam no trem em direção a Machu Picchu. Foi o que eu fiz.

Quando cheguei a Ollanta havia muita gente pois os grupos chegam todos juntos praticamente, mas logo depois do Tour guiado eles vão embora. Como eu não retornei a Cusco e o meu trem só seria à noite, tive mais tempo e pude visitar com calma. A imensa escadaria fez eu pensar em não subir, mas ainda que não desisti pois foi o lugar que mais gostei do Valle Sagrado valeu em ter deixado ela por último. Lá no alto do Templo do Sol tive um fim de tarde mágico. Só saí quando os funcionários começaram a chamar. Tive um tempinho para ir a praça da cidade.  

Além do sítio histórico a cidade de Ollantaytambo é interessante. Construída sobre ruínas incas foi a que melhor preservou os traços urbanos do período, isso faz dela diferente de todas as outras e atraente desde a entrada e pelas ruas podemos ver os detalhes. Muita gente dorme em Ollanta e me pareceu uma boa ideia.

O passeio é bom e demora o dia todo. Paguei 55 soles com transporte, guia e almoço. Pisac e Ollantaytambo fazem parte do Boleto Turístico. O que não foi muito legal foi o almoço. O restaurante Inka’s House é espaçoso mais estava lotado, praticamente todos os grupos pararam ali. Havia uma fila imensa que desanimava se servir no buffet. Na hora de comprar o passeio é possível escolher outro restaurante, mas pergunte se dará tempo pois costuma ser rápido. A guia de turismo era excelente, não era afobada, falava sem exagero e passava tranquilidade.      
     
        
Vale Sagrado dos Incas
        DSCF3894

Vale Sagrado dos Incas                 
   
Vale Sagrado dos Incas


Valle Sur

É outro Tour que é oferecido pelas agencias em Cusco visitando Tipon, Pikillacta completando os principais sítios arqueológicos e visitando também a igreja de Andahuylillas. Optei em não fazer esse Tour, um dos motivos foi o fato de ter visitado Andahuylillas quando fiz o trajeto de Puno a Cusco num ônibus de turismo.

Minha experiência com as agências


Vale Sagrado dos Incas

Deixei para contratar os passeios em Cusco e não tive problema, a cidade conta com muitas agências de turismo. Cada passeio fiz com uma agência diferente. Fiz o primeiro e não gostei da muito da condução da guia, troquei de agência para o passeio seguinte e peguei um guia muito pior. Isso fez eu repensar em fazer o último passeio, que era o que eu mais tinha interesse, com uma agência. Mas não teve jeito, não queria fazer por conta própria e não dava para fazer um privativo. Escolhi uma que pareceu ser melhor que as anteriores e falei das experiências ruins que tive nos passeios e perguntei se o guia era bom. O atendente então falou para eu ficar tranquilo pois o serviço deles era diferenciado, que só trabalhavam com guias selecionados e que eles eram constantemente avaliados pelos turistas…. No dia seguinte fui ao ponto de encontro e adivinhem quem estava lá. O mesmo guia que fez o tour Mara, Moray e que não gostei. Quando dei meia volta para ir reclamar a guia do meu passeio estava chegando. Que alívio, a guia era excelente.

O guia que estava no local esperava turistas dessa mesma agência para o tour de Maras, Moray. Ou seja todo aquele discurso que ouvi na agência foi conversa fiada, porque se eu comprasse com eles o Maras, Moray o guia seria o mesmo que não gostei. O que eu pude perceber nos passeios que saem de Cusco é que as agências de turismo vendem os mesmos passeios e na hora juntam os turistas com o guia que faz aquele roteiro.

Há um preconceito danado quanto aos passeios de agências e aos guias de turismo, mas nem todo Tour é enganação e nem todo guia de turismo é chato, estressado ou apressado. Durante a minha viagem pelo Peru fiz 09 passeios guiados e somente do serviço de 02 guias que não gostei. Sou guia de turismo e sei como é ter que dá conta de um roteiro que poderia ser melhor ou ter mais tempo.

VEJA AQUI O MEU ROTEIRO COMPLETO PELO PERU

2 comentários :

  1. Ótimas dicas. Fiz esses passeios da região de Cusco há alguns anos, mas pretendo voltar porque gostei demais do Peru.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pela visita ao blog. Peru realmente é fantástico né, também gostaria de voltar.

      Excluir