Mosteiro Zen Morro da Vargem, o primeiro mosteiro budista da América Latina

Mosteiro Zen Morro da Vargem

Até 2004 quem passava pela BR 101 no município de Ibiraçu,  norte do Espírito Santo, não imaginava a existência de um Mosteiro Budista no alto daquelas montanhas. Daquele ano em diante alguns sinais foram dados. Construíram à beira da rodovia uma praça com um imenso Portal Torii, um portal vermelho que se destaca de longe. Mais tarde colocaram 15 esculturas de buda sentado meditando. Hoje, com todos estes símbolos, quem passa pelo local pelo menos desconfia.

Mosteiro Zen Morro da Vargem
O grande portal Torii virou parada obrigatória para fotos

Sim, próximo dali está o Mosteiro Zen Morro da Vargem, o primeiro mosteiro budista da América Latina. Fundado em 1974 distante de cidade no alto de um morro, o Morro da Vargem. 

O lugar era de difícil acesso e ainda hoje é possível imaginar as dificuldades da época quando percorremos uma estrada íngreme e estreita para chegar ao mosteiro.

Mas as dificuldades não estavam só no caminho. Hoje quem vê os belos templos cercado por natureza não imagina que eram casebres improvisados, e que todo aquele verde que enche os olhos foi plantado pelos monges pois na época a Mata Atlântica estava devastada no alto do morro.

Budismo


Mosteiro Zen Morro da Vargem

Eu ficava confuso com Budismo Tibetano, Budismo Zen, Budismo….  pra mim tudo era a mesma coisa, mas não é. Depois da morte de Buda houve uma separação surgindo um grupo mais tradicional e outro mais progressista, e ainda em cada um deles surgiram inúmeras correntes do budismo que são as escolas que receberam nomes diferentes. Existem as que priorizam a liturgia, aos escritos e existem as que para alcançar o entendimento dá ênfase a meditação, o Zen.

Mosteiro Zen Morro da Vargem


Estação Cultural - foto Alair Caliari (arquivo do mosteiro)

Fundado pelo monge japonês Ryohan Shingu seguindo a escola Soto Zen com base na prática do Zazen (meditação sentada), o mosteiro tem como objetivo principal a formação de monges. Hoje o Abade do mosteiro é o monge Daiju Bitti, capixaba, que foi discípulo do fundador. 

Mosteiro Zen Morro da Vargem

No alto de 350 metros ele ocupa uma grande área verde com um belo paisagismo. Compondo o cenário estão várias construções, entre elas os templos, diversas estátuas de buda sendo que a que mais chama a minha atenção é a do buda deitado. 

Nesse ambiente vivem alguns monges com rigorosa disciplina dividindo o tempo entre meditação, receber visitantes e as rotinas diárias como lavar e cozinhar. Para os monges todas atividades são sagradas portanto refeitório, banheiro e sanitários também são templos. 

Mosteiro Zen Morro da Vargem

Fazia tempo que eu não visitava o mosteiro e recentemente voltei acompanhando um grupo de alunos dentro de um dos projetos que é desenvolvido com as escolas. Gostei de ver que o lugar está cada vez melhor e continua transmitindo muita paz.

Templo da Oracao - foto Alair Caliari
Templo da Oração - foto Alair Caliari (arquivo do mosteiro)

Um dos ambientes que mais gosto é o Estação Cultural, que muita gente conhece como casa do artista. É um local oferecido aos artistas para eles desenvolverem os seus projetos. Fica num lugar privilegiado cercado por natureza com uma vista inspiradora. 

Atividades


Mosteiro Zen Morro da Vargem
Dia de visita das escolas

O Mosteiro Zen Morro da Vargem desenvolve várias atividades socioambientais com vários setores da comunidade como treinamento para policiais militares, capacitação de professores e empresários, e recebe grupos de alunos agendados que durante algumas horas desenvolvem várias atividades como trilhas e o Zazen. É muito legal ver as crianças praticando a meditação.

Existem programações especiais como o Zenzinho, outra atividade voltada para as crianças, mas com pernoite no mosteiro. Para os adultos tem retiros com duração de três dias a uma semana para quem quer se aprofundar na vivencia de um mosteiro zen, veja a programação anual e leia a experiência da Elaine do Blog Viagem Massa. 

Mosteiro Zen Morro da Vargem
Zazen: meditação sentada

E para quem gosta de peregrinação espiritual existe Caminhos da Sabedoria, um circuito de 108km resultado do diálogo inter-religioso entre o Budismo e o Cristianismo. Nele o participante percorre pela Mata Atlântica passando por igrejas, capelas e templos. Saiba mais detalhes no site e assista este vídeo incrível.

Pessoas de qualquer religião podem participar das atividades. Informações e agendamento das atividades no site.

Visita aos domingos


Mosteiro Zen Morro da Vargem
Verde por todos os lados

Mas se você não se encaixa em nenhum dos casos anteriores, mas quer visitar o Mosteiro Zen Morro da Vargem fique tranquilo pois ele recebe visitantes aos domingos. Lá você será guiado por um monitor que irá apresentar o mosteiro e falar mais sobre o budismo. Você terá oportunidade de praticar o Zazen e terá tempo livre para desfrutar da área verde, curtir o lugar e tirar muitas fotos. Com certeza um passeio que vale a pena.

Mosteiro Zen Morro da Vargem

A visita acontece aos domingos das 8hs às 12hs. Menos em algumas datas especiais ou quando chove. Portanto telefone antes de ir (27) 3257-3030. A visita tem uma taxa de R$ 5,00. Não é permitido piquenique, mas caso dê fome lá são vendidos lanche e sucos. Também não é permitido presença de animais de estimação.

O número de visitantes aumenta cada vez mais, portanto quando visitar o Espírito Santo aproveite para conhecer o Mosteiro Zen Morro da Vargem, o primeiro mosteiro budista da América Latina.

Mosteiro Zen Morro da Vargem


Localização


O Mosteiro Zen Morro da Vargem está aproximadamente a 70km de Vitória pela BR 101 no município de Ibiraçu, norte do Estado. A beira da rodovia no Km 2017 está o grande Portal Torii vermelho e as estátuas de Buda sentado. Mas a portaria fica uns 2km dali e para chegar ao mosteiro tem que percorrer uma estrada estreita e bem íngreme. Ou seja, você vai precisar de um carro. 



Este post faz parte da blogagem coletiva sobre #templosreligiosos. Conheça os outros blogs participantes:

Destinos por onde andei... - Chen Tien, o Templo Budista de Foz do Iguaçu
Mulher Casada Viaja - A Sinagoga Espanhola de Praga: beleza, informação e emoção 
Fui ser viajante - A Catedral de São Bavão, o tesouro gótico de Haarlem
London, sô! - 15 dos mais impressionantes templos do Japão
Cantinho de Ná - A Capela Sistina das Américas em Andahuaylillas - Peru
Turistando.in - As igrejas de Florença que você tem que conhecer
Uma Viagem Diferente - Visitando a Catedral de Maringá 
Viagens Invisíveis - Abadia de Melk na Áustria, patrimônio mundial 
Ligado em Viagem - Templos hinduísta Sri Veeramakaliamman e Shree Lakshminarayan no bairro Little India em Singapura
Vem que te Conto! - Visitando a Mesquita Muçulmana e o Templo Budista de Foz do Iguaçu

A arte de rua em Barra do Jucu

Arte nas ruas de Barra do Jucu

Andar pelas ruas de Barra do Jucu é como visitar uma galeria a céu aberto, a todo momento somos atraídos por alguma pintura, escultura ou detalhe artístico. As paredes das casas, muro e até mesmo os postes foram usados como fundo para alguma arte.

Arte nas ruas de Barra do Jucu

Hoje cada dia mais vemos a arte tomando conta dos grandes centros urbanos, é a Street Art (Veja o melhor do Street Art em Vitória). Mas antes disso ser uma novidade em algumas cidades, Barra do Jucu já tinha a sua arte de rua.

Arte nas ruas de Barra do Jucu


Barra do Jucu

É um pequeno balneário, próximo a Vitória, no município vizinho de Vila Velha. Além de boas praias e gastronomia a base de frutos do mar, Barra do Jucu é reduto da cultura popular, com artistas, artesãos, festas tradicionais e com as bandas de congo que são grupos folclóricos importantíssimos para a cultural capixaba. 

Arte nas ruas de Barra do Jucu

Por tudo isto a Barra tem um clima diferente e muito bom. É comum, independente do estilo musical, músicos e bandas homenagearem o balneário em suas canções. Até Martinho da Vila que conheceu o lugar em uma de suas vindas ao Estado, canta a Barra em um dos seus sambas mais populares e usando uma personagem da música de congo: Madalena.   

“Madalena, Madalena, você é meu bem querer (……) Eu fui lá pra Vila Velha direto do Grajaú, só pra ver a Madalena e ouvir tambor de congo lá na barra do Jucu (…) Oh! Madalena.

Arte nas ruas de Barra do Jucu
Banda Kitento Congo que apresenta músicas de congo e músicas populares em ritmo de congo. À esquerda da foto está o Mestre Vitalino que faz a casaca, instrumento típico capixaba usado nas bandas de congo.


Com tanta história, arte e tradição, em 2015 foi criado o Museu Vivo da Barra do Jucu para resgatar, valorizar e promover a cultura do lugar e através dela oferecer novas possibilidades para os moradores. O Museu Vivo desenvolve vários projetos como Arte na Barra, Galeria Livre, exposições culturais, apresentações culturais, oficinas ….

Arte nas ruas de Barra do Jucu


A arte nas ruas de Barra do Jucu

E na Barra do Jucu a arte é mostrada nas ruas para todos verem, principalmente a arte visual. E legal é que vemos o cotidiano e a cultura local nos trabalhos feitos por artistas já conhecidos e também por moradores, inclusive crianças.

Arte nas ruas de Barra do Jucu
O congo tá sempre representado nos trabalhos

Ano passado o Museu Vivo junto com a Secretaria de Estado de Cultura desenvolveu o Projeto Galeria Livre disponibilizando 10 muros para que artistas da comunidade e de fora pintassem temas ligados a comunidade, deixando a principal rua do bairro mais colorida.

Arte nas ruas de Barra do Jucu

Também em 2017 a prefeitura criou o Projeto Escola Colorida onde as paredes da escola no balneário serviram de fundo para a arte desenvolvida pelas crianças que estudam na escola. Mais do que uma brincadeira, elas foram incentivadas pelo projeto a perceberem o lugar onde moram e se aproximarem da arte. Muito bacana isso.  

Arte nas ruas de Barra do Jucu
Projeto Escola Colorida, arte feita pelas crianças

Para os trabalhos chegarem às paredes da escola, primeiro o artista e professor ‘Toninho Natural’ fez um passeio com as crianças pelo bairro para que elas observassem o lugar delas. Depois elas desenharam o que viram e os desenhos escolhidos foram feitos nas paredes da escola em auto relevo.

Arte nas ruas de Barra do Jucu

Mas a arte nas ruas de Barra do Jucu existe independente dos projetos criados por organizações.Os próprios moradores usam paredes e muros como pano de fundo para expressar suas artes chamando a atenção de quem passa pelas ruas. 

Arte nas ruas de Barra do Jucu

Faça um passeio despretensioso pela Barra do Jucu, aproveite a praia, a boa comida, visite um ateliê conheça a arte exposta pelas suas ruas.

Arte nas ruas de Barra do Jucu

Festa do Caboclo Bernardo em Regência

Festa do Caboclo Bernardo em Regência

Mês passado aconteceu mais uma edição da Festa do Caboclo Bernardo em Regência, litoral norte do Espírito Santo, e eu estava lá. Mas antes de falar sobre a festa é preciso falar de Regência e do Caboclo Bernardo.

Regência Augusta ou simplesmente Regência

Regência é uma Vila de pescadores na foz do Rio Doce, município de Linhares. Lugar simples de ruas sem calçamento distante aproximadamente 120 km de Vitória sendo que desses, uns 30 são em estrada de terra.

Festa do Caboclo Bernardo em Regência

A rotina do lugar era a pesca, que começou a ser modificada justamente devido a simplicidade e características naturais sendo desenvolvido o turismo ecológico. A praia quase deserta atrai as tartarugas marinhas para colocar os seus ovos. Isto fez com que uma das primeiras bases do Projeto TAMAR fosse instalada ali, atraindo visitantes para o Centro de Educação Ambiental e para o Centro Ecológico. Uma das coisas mais legais é assistir a soltura dos filhotes.



As ondas atraem os surfistas, fazendo de Regência um dos melhores lugares para a prática do esporte. Foi gravado no local o filme “A Onda da Vida”. A cultura popular atrai visitantes nas épocas de festas como o tradicional carnaval da Fubica e a Festa de Caboclo Bernardo. 

Festa do Caboclo Bernardo em Regência

Esta movimentação turística fez com que algumas pousadas fossem abertas e a vila ganhou um pequena estrutura com mercado, padaria e restaurante. A Vila passou a ser frequentada. Mas muita gente só ficou sabendo de Regência a partir de 2015 quando houve o rompimento da barragem da Samarco em Mariana (MG) fazendo com que a lama descesse pelo Rio Doce até a sua foz.

A lama chegou e os peixes e turistas sumiram. Pousadas, comércio e casas fecharam. Os moradores que viviam da pesca ficaram prejudicados e os que viviam do turismo também. Mas aos poucos isto esta mudando e Regência vai recuperando o seu ritmo. Os eventos têm ajudado nesse sentido.

Bernardo José dos Santos ou simplesmente Caboclo Bernardo

Um pescador que nasceu e viveu na Vila de Regência, e que se transformou em herói com o naufrágio de um navio.

Festa do Caboclo Bernardo em Regência
Praça com o busto do Caboclo Bernardo

Durante uma tempestade na madrugada de 7 de setembro de 1887 o Cruzador Imperial Marinheiro naufragava próximo a foz do Rio Doce. Alguns sobreviventes conseguiram chegar a Vila de Regência e pediram ajuda aos moradores que tentaram ajudar, mas o mar estava muito violento. 

O caboclo Bernardo depois de algumas tentativas conseguiu nadar até o navio levando um cabo preso nos dentes e através dele resgatou 128 tripulantes. Recebeu várias homenagens e foi condecorado no Rio de Janeiro pela Princesa Isabel recebendo uma medalha de ouro pelo seu ato heroico. 

Festa do Caboclo Bernardo em Regência

Caboclo Bernardo continuou em Regência com a sua vida simples de pescador e aos 54 anos de idade foi morto por um pescador com um tiro a queima roupa. Foi sepultado na vila e o seu nome foi dado a ruas e escolas no Estado do Espírito Santo. Em Regência tem busto dele na praça que também leva seu nome e próximo dela está o Museu Histórico que guarda a história do morador ilustre. E para homenagear o herói, todo ano acontece uma festa. 

Festa de Caboclo Bernardo e Encontro de Bandas de Congo


Festa do Caboclo Bernardo em Regência
Banda de congo

Caboclo Bernardo ficou um pouco esquecido, então a partir de 1930 acontece no dia 03 de junho (data da sua morte) uma festa para homenagear o Herói Nacional. Este ano devido a greve dos caminhoneiros a festa aconteceu no fim do mês.

Festa do Caboclo Bernardo em Regência
Banda de congo de Regência

A festa acontece na praça de sexta a domingo com programação esportiva e cultural. Tem encenação do Auto do Caboclo Bernardo e às noites acontecem shows musicais na praça. Este ano o principal foi da Banda Casaca, uma banda pop-rock capixaba com influências do congo, inclusive utilizando seus instrumentos. E no domingo tem o que eu mais gosto que é o encontro de bandas de congo. 

Festa do Caboclo Bernardo em Regência
Congódromo, rua para o cortejo das bandas

Bandas de congo são grupos folclóricos religiosos próprios daqui do Estado e que se apresentam para homenagear o santo padroeiro ou em ocasiões especiais como este encontro de bandas. As bandas de congo tem uma importância muito grande para a nossa identidade cultural.  São formadas por homens e mulheres que o estandarte do santo padroeiro e dançam ao som predominante de dois instrumentos: o tambor e a casaca, este último é típico daqui.

Festa do Caboclo Bernardo em Regência
Grupo de Reis de Minas Gerais

Há 28 anos a moradora conhecida como Tia Mariquinha teve a ideia de reunir bandas de congo durante a festa. E desde então a Vila de Regência é ocupada por bandas de congos de vários lugares do Espírito Santo e outros grupos folclóricos como Folia de Reis e Jongo que veem inclusive de outros estados. A cultura popular se faz presente e dá o ritmo da festa de Caboclo Bernardo. Foi a forma de manter viva a tradição.

Festa do Caboclo Bernardo em Regência
Instrumento Casaca, típico do Espírito Santo

Os grupos chegam cedo e vão para a concentração. Tomam café da manhã, conversam, afinam os instrumentos, tocam e dançam. Depois vão para a igreja passando pelo “Congódromo”, uma rua especialmente preparada para o cortejo das bandas.  O evento além de festejar serve para reunir os Mestres de congo que conversam sobre assuntos pertinentes as bandas. Durante todo dia é possível ouvir e ver as bandas e grupos, mas é no final do dia que todos seguindo uma ordem se apresentam no centro da praça.

Festa do Caboclo Bernardo em Regência
Banda de congo indígena tocando a Casaca

Serviço

>> Se você gosta de festas populares, então agende aí para junho do ano que vem. Em Regência tem algumas pousadas, camping e casas de aluguel. Este ano reservei hospedagem no site Airbnb.
>> Tem padarias, mercados e poucas opções de restaurantes.
>> Para ir de carro a partir de Vitória siga pela rodovia ES-010, ate Vila do Riacho e pegue uma estrada de terra até a Vila de Regência. A viagem de carro dura cerca de duas horas. Outra opção é seguir pela BR-101 norte, até o município de Linhares e no distrito de Bebedouro entrar no trevo à direita na rodovia que leva até Regência. Este caminho também tem estrada de terra.
>> De ônibus precisa ir até a cidade de Linhares com a viação águia branca e lá pegar outro ônibus da empresa Unimar. Veja horários.

O melhor da Street Art em Vitória

O melhor da Street Art em Vitória

Muito bom que as ruas das cidades se transformaram em espaços de arte.  Hoje é praticamente impossível andar pelas ruas sem ser atraído pela arte visual que vem tomando conta dos espaços urbanos. Muros, paredes, bancos, tudo virou tela para os artistas. Que bom!

Estas manifestações artísticas deixam a cidade muito mais interessante visualmente, valorizam o espaço e permitem que mais pessoas vejam arte simplesmente fazendo um passeio ou circulando por onde moram através do transporte, sem necessariamente ir a uma galeria de arte.

O melhor da Street Art em Vitória

Esta arte vista nas ruas é a Street Art, e é toda manifestação artística em espaço público, não é só grafite ou outras pinturas em muros e paredes como muitos pensam. Os temas podem ser os mais variados e estão em todos lugares, da periferia aos bairros nobres da cidade.

Os artistas estão ganhando mais espaço e fazendo trabalhos cada vez mais impressionantes. Em muitas cidades estes trabalhos entraram nos roteiros turísticos como é o caso do Beco do Batman em São Paulo que conheci ano passado.

O melhor da Street Art em Vitória

Praticamente em todas cidades têm trabalhos incríveis de arte urbana, basta prestarmos mais atenção, e eu passei a prestar mais atenção aqui na região metropolitana da grande Vitória, onde moro. Neste post, que faz parte de uma Blogagem Coletiva sobre Street Art pelo mundo (#streetartpelomundo), vou mostrar alguns dos trabalhos em Vitória.

Ficore Kabelera

Um dos principais representantes da cultura urbana daqui do Espírito Santo nasceu em Belo Horizonte – MG. Na arte visual ele trabalha o Grafite e través dele chegou ao Hip Hop. Gosta de formas geométricas e figurativas abstratas em trabalhos que podem ser vistos pelas ruas de Vitória, em outras cidades do Brasil e até de outros países como Inglaterra e Itália. Em 2013 viajou pelos dois países e teve um mural tombado como patrimônio cultural da cidade histórica italiana de Spinoso.

O melhor da Street Art em Vitória
Cardume de Cordas de 2015 na Faculdade de Música do espírito Santo. Instrumentos e elementos marinhos fazendo uma referência a localização na baía de Vitória, centro da cidade.

O melhor da Street Art em Vitória


O melhor da Street Art em Vitória
Com vários trabalhos em área nobre de Vitória, o que ele considera a sua obra prima fica em um beco de um condomínio simples que foi ocupado. O mural de de 2014 com 300 m² ocupa toda parede externa de um prédio. A obra com tema africano recebeu o nome de Raízes da Cor e teve uma boa repercussão sendo incluída na lista de 20 melhores murais de artistas brasileiros do site especializado Street Art Brasil

Raízes de Cores.
A obra impressiona, ainda mais sendo grande em um espaço pequeno. Pena que fique em um lugar tão escondido sendo vista por poucos. As paredes laterais estavam pichadas, mas ela estava intacta. Para ver tem que entrar em um beco na esquina das ruas Antônio Engrácio da Silva com Alcino Pereira Neto próximo ao Restaurante Victória Doc. O lugar estava tranquilo, havia trabalhadores e um casal de jovens conversando. Como Ficore mesmo diz, o trabalho recuperou o espaço.

Diário de Arte


O melhor da Street Art em Vitória

Durante uma semana os artistas grafiteiros do Grupo Força Graffitacional Crew: Moris - Luahn Gaba - Liam - Keka – Starley, trabalharam em um dos painéis mais marcantes na ilha de Vitória. Ele está na Praça do Cauê em Santa Helena e é logo visto por quem chega pela terceira ponte.

O melhor da Street Art em Vitória

Um painel feito especialmente para o Projeto Conexões da Organização Médicos Sem Fronteiras para marcar a luta mundial contra a AIDS. A obra foi inspirada em depoimentos de profissionais que atuaram em projetos em países africanos e nele está o rosto de um dos médicos.

O melhor da Street Art em Vitória


Mural da Fábrica de Ideias

Uma antiga fábrica em Vitória se tornou espaço de economia criativa. E sua parede de 250 metros ganhou um painel em grafite de autoria do Artista Plástico Emílio Aceti e de artistas do Centro Grafitacional, nele estão colocados histórias, sentimentos e homenagens.


O painel modificou a paisagem de Jucutuquara, colorindo um dos bairros mais tradicionais de Vitória.

Jardim Araceli


O melhor da Street Art em Vitória

Em um viaduto no final da Praia de Camburi está o maior mural de Vitória com 1400 m². O trabalho realizado por sete artistas grafiteiros (Fel, Nico, Fagundes, Chic, Iran, Maik e Art Oi) é belíssimo apesar da história triste de duas meninas que sofreram exploração sexual e foram assassinadas.

O melhor da Street Art em Vitória

Araceli foi morta em 18 de maio 1973 e ninguém foi punido. Aqui no Estado é conhecido como o caso Araceli e a data da sua morte passou a ser o Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes.

O melhor da Street Art em Vitória

O trabalho foi inspirado nos quadrinhos retratando brincadeiras infantis homenageando as crianças.

Blogagem Coletiva

Veja as dicas de todos os blogs que participam da blogagem Street Art pelo mundo: