O que fazer na cidade mexicana de Mérida em poucas horas

O que fazer em Mérida no México

Palácio do Governo

 

Mérida é uma importante cidade do México com mais de 800 mil habitantes e distante aproximadamente 1500km da capital do país. Fundada no século XVI por espanhóis no local de ruinas mayas, a capital do estado de Iucatã é conhecida como a capital cultural da América e oferece uma vasta programação em vários teatros e centros culturais como também apresentações gratuitas nas ruas e praças. Há também boas opções de atrativos históricos e culturais.

 

E a partir da cidade de Mérida é possível conhecer várias atrações históricas e naturais como zonas arqueológicas, fazendas e cenotes. A minha lista de lugares para conhecer era grande, mas não consegui.

 

O que fazer em Mérida no México

 

Inicialmente eu ficaria pelo menos 1 dia na cidade, talvez 2. Mas por ter feito alterações em Valladolid meu tempo diminuiu para uma tarde. E para piorar, ao chegar a cidade tive contratempos e só tive umas 4 horas para conhecer um pouco de Mérida.

 

>> Confira o meu roteiro de viagem.
>> Leia todos posts sobre o México.

 

Fui de Valladolid para Mérida, conhecendo antes Chichén Itza que é mais famosa das ruinas maias e que fica no caminho. Chegaria então por volta das 14h e teria até a noite na hora de embarcar para a cidade de Palenque. Mas o ônibus parava em tudo que lugar para embarque e desembarque de passageiros, vendedores e cantores. Pelo menos não tive uma viagem monótona, só que teve uma duração de quase 3 horas, diminuindo meu tempo.

 

Na rodoviária (no México é terminal ou central de autobuses) fui comprar logo a passagem para poder ficar livre, quando fui informado que o ônibus para Palenque saía de outra rodoviária.

 

O que fazer em Mérida no México

 

Pois é, em Mérida tinham duas rodoviárias na época da minha viagem (abril19). Digo tinham porque no fim do ano passado foi inaugurado um novo terminal e não sei como ficou. Se informe na hora de comprar a passagem.

 

>> Confira o meu roteiro de viagem.
>> Leia todos posts sobre o México.

 

Tive que ir pra outra rodoviária e a moça que me atendeu falou que não era longe e sugeriu eu ir a pé. Acabei perdendo mais tempo. Não era tão perto, fazia um calor terrível, aquela parte da cidade não é tão interessante e com a fadiga já fui ficando com uma impressão péssima da cidade e achando que o pouco tempo que ficaria ali seria muito.

 

Ao contrário de Valladolid, Mérida é uma cidade grande com trânsito e muita gente na rua. De igual só o calor.

 

Já na outra rodoviária, comprei passagem, guardei bagagem e fui ver um hotel próximo dali para tomar um banho antes de viajar. Já passava das 4h da tarde quando fiquei livre para almoçar de preferência num lugar com bom ar condicionado e cerveja gelada. Precisava disso ante de tentar conhecer qualquer lugar na cidade.  

 

O que fazer na cidade mexicana de Mérida

O que fazer em Mérida no México

 

Fui para o Zócalo, que é a praça principal nas cidades mexicanas. Nela sempre têm restaurantes e atrações.

 

À medida que fui andando a aparência da cidade foi mudando. Ela continuava quente e movimentada, mas tinha outra aparência com construções bonitas e cuidadas. Mas não dava para visitar nada naquele momento, eu precisava de comida, bebida e ar condicionado.

 

O que fazer em Mérida no México

Igreja de El Jesus no parque de la madre

 

Passei em frente a catedral, pela calle 60 e duas quadras dali estava bem mais sossegado. Cheguei a uma pequena praça (parque de la madre) com uma igreja bonita (Igreja de El Jesus, terceira ordem) e ao lado um calçadão (calle 57 A) bem agradável com mesas e sofás, bares e restaurantes. Entrei no último restaurante da rua (La Casa di mi Tía), estava quase vazio. Lá gastei um tempo do pouco que tinha na cidade.

 

Anexo ao restaurante tinha uma agência de viagem. Comentei com o garçom e ele levou pra mim um catalogo com os passeios oferecidos, havia muitas opções e por um momento pensei em ficar na cidade para fazer algum daqueles passeios. Mas resolvi prejudicar só Mérida e manter o restante do meu roteiro como estava.

 

Satisfeito, fui para o Zócalo tentar conhecer algum dos atrativos da minha lista. Já era fim do dia e a praça estava mais movimentada, inclusive com muitos turistas fazendo tour guiado.

 

O que fazer em Mérida no México

Catedral de Mérida

 

O Zócalo de Mérida também é conhecido com Plaza Grande, e entre as construções ao seu redor é a catedral que se destaca. Ela é grande como as catedrais costumam ser. Ela é austera e bonita, tanto por dentro como por fora. A Catedral de de San Idelfonso foi a primeira catedral construída na parte continental da América. Aberta todos os dias das 7h às 21h sem custo.

 

Outra grande construção de destaque ao redor da praça, ao lado da catedral, é Palácio do Governo do Estado de Iucatã. Fui até lá e para minha surpresa estava aberto para visitação. Achei legal que no México muitos atrativos ficam abertos para visitação também à noite. As visitas acontecem todos os dias das 8h às 22h gratuitamente.

 

O que fazer em Mérida no México

Interior do Palácio do Governo

 

No interior do palácio o que inicialmente chama atenção é um grande pátio, mas o destaque fica mesmo para as murais nas paredes e pinturas no Salão dos Retratos no segundo piso.  Os trabalhos são do artista Fernando Castro Pacheco nascido na cidade. Vale a visita. E ainda se tem um vista da praça.

 

O que fazer em Mérida no México

Salão dos Retratos

 

Já não tinha tempo suficiente para conhecer outros atrativos. Então dei uma volta pelo comércio ao redor da praça, tomei sorvete numa pequena paleteria e depois segui para a rodoviária e embarquei rumo a Palenque.

 

Outros atrativos na cidade que não conheci

O que fazer em Mérida no México

Palácio Municipal

 

Infelizmente estes dois lugares foram os únicos que consegui visitar. Mas ao redor da grande praça têm outros lugares de interesse como o Palácio Municipal que também é aberto a visitação  e no térreo tem o escritório de informações turísticas. Ao seu lado está o Centro Cultural Olimpo.

 

E ao lado da catedral está o Museu Fernando Castro Pacheco Macay (Museu de Arte Contemporânea). A visita também é gratuita das 10h às 18h de quarta a segunda. Cercando a praça está o museu Casa de Montejo com vista gratuita de Terça a sábado, das 10h às 19h / domingo, das 10h às 14h. E à noite acontecem apresentações culturais durante a semana.

 

O que fazer em Mérida no México

Passeio de carruagem

 

Além dessas atrações a cidade de Mérida oferece muitos teatros e outros atrativos como museus. Entre eles se destacam o Museu da Cidade de Mérida, Grande Museu do Mundo Maya e o Paseo de Montejo que é uma avenida histórica, florida com belos casarões. Ela tem o sobrenome do fundado da cidade, Francisco de Montejo. Veja informações sobre atrativos de Mérida nesse site e também neste site.


Mérida é plana e muitos atrativos ficam próximos sendo possível conhecê-los a pé. Inclusive acontece tour a pé promovido pela prefeitura que saem do escritório de turismo que fica na prefeitura no Zócalo. Tem também turibus que é um ônibus de turismo com ponto na praça. E outra forma de conhecer é fazer um passeio de carruagem.


O que fazer em Mérida no México


Atrativos para conhecer a partir de Mérida

Usando Mérida como base você pode conhecer várias atrações na região. Existem cenotes, fazendas, povoados, ruinas maias e a praia também não está longe. O ideal para os passeios é usar carro, mas tem opção de fazer com agências de turismo e em vários lugares também é possível ir de ônibus.

 

Cenotes são grandes poços de água cristalina que vale muito a pena conhecer. Durante a minha viagem conheci 10 cenotes incríveis, mas os da região de Mérida não tive tempo de conhecer, mas o blog boa viagem tem ótimo material sobre eles.

 

Izamal é um dos “Pueblos Mágicos” na região. Conhecida como a Cidade Amarela, a visita a Izamal é sempre indicada para quem está na cidade.

 

Ruinas maias também tem várias. Entre elas se destaca a de Uxmal, mais próxima de Mérida, e a famosa Chichén Itza que fica mais distante. É possível visitar as duas num tour bate e volta, mas muita gente aproveita para conhecer Chichén Itza no dia que segue viagem para a Riviera Maya. Eu visitei a partir da cidade de Valladolid que fica bem mais perto. Fui por conta própria de ônibus.

 

O que fazer em Mérida no México

 

Como chegar à Mérida

A cidade tem aeroporto internacional. Mas o ônibus é muito usado por quem tem várias cidades no roteiro. Viaja de ônibus no México é tranquilo e tem empresas boas, leia como foi a minha experiência. A prinicpal empresa de ônibus é a ADO, mas tem outras empresas.

 

Eu saí de Valladolid e fui de ônibus da empresa Oriente até Chichen Itza. Depois embarquei em outro ônibus da Oriente para Mérida. A ADO só tem uma horário nesses trajetos, mas a Oriente têm vários.

 

Onde comer

A cidade têm várias opções. Desde restaurantes famosos e caros até biroscas de uma portinha, além de mercados.

 

Hospedagem

Mérida tem muitas opções de hospedagem. Eu cheguei a fazer uma reserva de hospedagem pelo site booking, mas como teve mudança no roteiro, acabei ficando só algumas horas na cidade.

 

>> Confira o meu roteiro de viagem.
>> Leia todos posts sobre o México.

Conheça a cidade de Valladolid no México

Cidade de Valladolid no México
Parque Francisco Cantón

A cidade de Valladolid entrou no meu roteiro do México por estar numa região de muitos cenotes e próxima a zona arqueológica de Chichén Itza. Para não alterar muito o que já havia programado, pensei em dormir só uma noite na cidade e no dia seguinte conhecer alguns desses lugares e seguir viagem.

>> Confira o meu roteiro de viagem.
>> Leia todos posts sobre o México.

Assim como eu, a maioria dos turistas só pensa no que tem nos arredores da cidade: muitos cenotes e ruínas de cidades maias. E na cidade fazem uma parada rápida quando estão de passagem para outro destino.

Mas Valladolid é uma cidade colonial conservada só com construções baixas e fachadas de corres fortes, típico das cidades do interior do México. Foi cenário de fatos históricos e é um dos “Pueblos Magicos” do país oferecendo atrativos históricos, culturais e boa gastronomia. Portanto Valladolid merece mais tempo do que alguns minutos.
    

Conheça a cidade de Valladolid no México 

Cidade de Valladolid no México

Cheguei à noite a cidade para no dia seguinte começar cedo a minha programação.

Mas apesar de ter uma relação de cenotes da região eu não tinha informação de como ir por conta própria. Só tinha lido relatos de quem havia ido de carro, o que não era o meu caso. Em Valladolid não tem locadora de carro, o máximo que tem é locadora de bicicleta e muita gente vai pedalando para os mais próximos. Cheguei a cogitar esta opção, mas a região é muito quente e em Tulum eu já havia pedalado muito. Além de achar que os preços não eram bons.

Diante disso aproveitei que estava precisando dormir, desliguei o celular, relaxei e a hora que eu acordasse veria o que conseguiria fazer. Acabei acordando mais tarde e sem culpa fui tomar o meu café tranquilamente. Acho que eu já tinha desistido de conseguir fazer o que queria.

Mas as coisas foram acontecendo e acabei ficando 2 dias inteiros em Valladolid e só segui viagem na manhã do terceiro dia. Veja meu roteiro.

Cidade de Valladolid no México


1º dia

Já era quase 11h quando fui para o terminal rodoviário da ADO (empresa de ônibus, veja como é viajar de ônibus pelo México) para ver horário para Chichén Itza. Mas na mesma calcada do terminal (calle 39), praticamente ao lado dele, tinha uma entrada de carros com um banner com propagandas de cenotes. Era um ponto de transporte alternativos para alguns cenotes e para a zona arqueológica.

“Em Valladolid têm vários desses pontos de transporte alternativo. Mas para ir a um destino você tem que um posto específico. Nesse caso era um lugar fechado, mas pode ser simplesmente uma esquina.

Para Chichén Itza o transporte era uma van, custava 35 pesos, mas precisava conseguir uma lotação. Para dois dos cenotes o transporte podia ser um taxi, custava 25 pesos, mas precisava de mais 3 pessoas para sair e só tinha eu. Acho que quanto mais cedo, mas fácil para conseguir gente para sair.

>> Confira o meu roteiro de viagem.
>> Leia todos posts sobre o México.
 
Como ninguém apareceu, o taxista propôs em me levar por 80 pesos. Não quis perder tempo e aceitei e depois de alguns minutos cheguei na entrada dos cenotes Samula e X’kekén. Dois cenotes, um ao lado do outro, com a mesma portaria e a opção de conhecer um (80 pesos) ou os dois (125 pesos). Fui aos dois e valeu muito a pena. Tem post sobre eles aqui no blog. Na hora de voltar para a cidade demorou em aparecer alguém para dividir um taxi. Pensei que fosse ter que bancar novamente sozinho o taxi.

Cidade de Valladolid no México

Voltei à tarde para Valladolid e resolvi conhecer logo um pouco a cidade pois não sabia se conseguiria fazer isso depois. A cidade é plana e as principais atrações ficam no centro, dá para fazer a pé e ver muito da cidade. O que atrapalha é o calor que faz. Na cidade tem mercados e pequenos comércios onde são ofertados artesanatos e produtos típicos. Em um deles me foi oferecido provas (no plural mesmo) de Mezcal, uma bebida tradicional e encontrada em vários lugares e cidades mexicanas. É boa, mas forte. Gostei.

Fui primeiro conhecer o cenote Zací, o único que fica dentro na cidade próximo do centro e fácil de chegar. Ele é visto de cima, tem um visual bonito, havia gente na água, mas li que não era recomendado então não entrei e também queria ter tempo para visitar outros lugares. O valor do ingresso era 30 pesos, mas quem consumir no restaurante ao lado tem a entrada liberada. Ao seu lado tem também uma feira de artesanato. 

Cidade de Valladolid no México
Detalhe no Parque Francisco Cantón; as cadeiras ficam uma de frente pra outra

Duas quadras dali está a principal praça da cidade: Parque Francisco Cantón Rosado. Ela é agradável, bonita e arborizada, mas estava vazia quando passei.

Ao seu redor têm construções importantes e bonitas como a Igreja de San Gervásio da mesma época de fundação da cidade. Ela tem grandes torres, chama atenção, mas fica mais bonita á noite. O seu interior também é bonito e a visita é grátis.

Cidade de Valladolid no México
Igreja de San Gervásio

Em outra lateral da praça está o Palácio Municipal (a prefeitura da cidade). No térreo tem serviço de informações turísticas onde fui bem atendido e orientado. No primeiro andar funciona um museu com pinturas e informações históricas da cidade. A visita é grátis. Nessa hora não visitei, mas à noite ele ainda estava aberto e foi mais interessante porque de suas janela pude ver a cidade iluminada.

Da praça segui em busca da Calzada Los Frailes, uma rua a duas quadras da praça e que é como uma calçadão com construções coloniais bonitas que além de residências tem também bares e restaurantes. A rua era a ligação entre o centro da cidade e o bairro do Sisal onde está outro atrativo da cidade: Convento San Bernadino de Siena. Uma construção franciscana do século XVI e que hoje funciona uma igreja e um museu.

Cidade de Valladolid no México
Calzada Los Frailes

No horário que cheguei o museu já estava fechado e só consegui conhecer a igreja que é simples. O museu tem ingresso, a igreja não. De terça a domingo acontece às 21h um espetáculo de som e luz que conta a história da cidade. Eu fiquei com preguiça e acabei não indo ver, uma pena. Como a visita foi rápida parei em uma pequena e simples paleteria em sua frente. Externamente não é uma construção bonita, mas é grande e chama atenção.

Cidade de Valladolid no México
Convento de San Bernadino

Já se aproximava das 5h da tarde e eu ainda não havia almoçado. Parei em um restaurante na Calzada Los Frailes onde tive a melhor refeição da minha viagem.
 
De volta a praça principal ela parecia outro lugar. Ela estava tomada por gente que circulavam entre barraquinhas de artesanatos e comida. Em frente a prefeitura grupos apresentavam danças típicas e que fiquei sabendo depois que acontecem aos domingos. Da igreja estava saindo uma procissão movimentando mais ainda a praça.

Cidade de Valladolid no México

A esta altura só me restava dormir mais uma noite em Valladolid. Voltei ao hostel e consegui mais um pernoite.
 
Depois de um bom tempo deitado, fui até a praça e ela ainda estava com movimento (uma característica do México, as praças movimentadas à noite). Já passava das 21h e para a minha surpresa o museu da prefeitura ainda estava aberta e aproveitei para visitar. Atrativos abertos também à noite foi outra coisa que percebi é comum no México.

Fui andando pela cidade e acabei chegando até a Igreja da Candelária, mas esta já estava fechada. Foi tranquilo e me senti seguro o tempo todo.

Cidade de Valladolid no México
Palácio Municipal

2º dia

Neste dia eu sai mais cedo para não perder tempo, até mesmo porque não sabia ao certo o que ia conseguir fazer. Ao passar pela rua 44 esquina com a 37 fui abordado por um taxista que me ofereceu para ir a zona arqueológica de Ek Balam. É que ele estava com duas pessoas para levar, mas precisava de mais gente para poder sair.  

Cidade de Valladolid no México
Zona arqueológica de Ek Balam

Ek Balam estava na minha lista, mas nem imaginava mais conhecer. Não perdi a oportunidade, paguei 50 pesos e fui. Um pouco mais de meia depois estava lá. Paguei 413 pesos e tive uma boa surpresa. Não vou escrever sobre pois já tenho post de Ek Balam, ruínas de um reino maia.
  
Ao sair dali vi placas indicando para o cenote Xcanche, fui pedir informações e acabei indo conhecer. Passava de meio dia quando sai dele. Fui para a portaria em busca de transporte para voltar a Valladolid, mas não tinha ninguém para dividir o taxi comigo. Então negociei com o taxista para me levar aos cenotes Palomita e Agua Dulce e depois me deixar na cidade.  

Cidade de Valladolid no México
Cenote Xcanche

De volta a Valladolid já não dava mais tempo de ir a Chichén Itza, tive que transferir mais uma vez para o dia seguinte.

Aproveitei então o tempo para ir conhecer outros lugares. fui até a simples e simpática Igreja de Santa Ana distante 3 quadras da praça principal, estava aberta e a visita é gratuita. Próximo dali está o Museu San Roque, passei por ele outras vezes e não entrei, então fui visitar. Funciona dentro de uma antiga igreja e é grátis. Também gostei de conhecer.

Na mesma rua está Casa de Los Venados, um museu muito indicado de arte mexicana. Mas esse eu não consegui visitar devido ao horário.

Cidade de Valladolid no México
Igreja de Santa Ana

Já era tarde e fui até a praça para almoçar em algum dos restaurantes ao seu redor. Aproveitei o restante da tarde para andar pela cidade, mas antes  fui comprar logo a passagem para Chicén Itaza para não correr o risco de mudar novamente a minha ida.

No dia seguinte ás 8h embarquei para a Chichén Itza, a mais famosa das ruínas maias. Depois segui viagem para a Cidade de Mérida.

Eu que achava que não conseguiria conhecer nenhum cenote e a minha ida a Valladolid seria aproveitada, acabei conhecendo 06 cenotes e mais um sítio arqueológico. Valeu muito a pena.

Cidade de Valladolid no México


Observações sobre o meu roteiro 

>> Viu que por falta de informações acabei saindo os dois dias para ir conhecer cenotes e conheci a cidade no tempo que restava.
>> O ideal seria um dia só para a cidade e outro dia para os cenotes e Ek Balam. Mas para isso precisaria está de carro para o dia de fora da cidade. E como em Valladolid não tem locadora eu teria que alugar um carro em Tulum e devolver em Mérida e sairia muito caro. Se for alugar, você pode alugar ainda aqui no Brasil de forma segura e prática sem pagar a mais por isso.
>> Na região tem mais cenotes e se for o caso de querer conhecê-los fique mais tempo.
>> Viajei ao México em abril do ano passado. Os preços aqui mencionados são daquela época.


  

Como Chegar


>> De ônibus a partir de várias cidades. Eu fui de Tulum com a empresa ADO, foi uma viagem tranquila que teve a duração aproximada de 2h.
>> Não tem aeroporto. Os de Cancún e de Mérida estão a 160km, aproximadamente.

>> Confira o meu roteiro de viagem.
>> Leia todos posts sobre o México.


Onde comer

Cidade de Valladolid no México
Restaurante La Calzada

A cidade oferece boas opções de restaurantes. Tem para quem viaja com orçamento reduzido e também tem para quem pode comer em restaurantes melhores.  Me surpreendeu a quantidade e variedade de restaurantes na cidade.  A minha melhor refeição da viagem foi em Valladolid.

Ao redor da praça central tem algumas opções. Entre ela tem o Restaurante Los Portales com mesas na varanda voltada para a praça. Tem pratos com preços bons, mas para quem come bem não são bem servidos.

Do outro lado da praça tem o Bazar Municipal, é como um mercado com várias opções para quem quer comer pagando pouco. O lugar reúne moradores locais e mochileiros.

Na Calzada Los Frailes têm opções para comer bem com um bom custo. Em um café comi uma deliciosa empanada argentina (adoro empanadas) e no Restaurante La Calzada almocei muito bem com um bom preço. Almoço com duas cervejas mais serviço foi 200 pesos.

Também no centro conheci o La Casona de Valladolid, não comi lá pois só vi no último dia e já estava fechando, mas é um lugar agradável e bonito.

Cidade de Valladolid no México

Onde ficar

Me hospedei no Hostal Gayser e reservei pelo site Bookings. Quando vi achei interessante por ter cabines separadas em vez de quartos coletivos, era algo novo pra mim e o preço era bom. O lugar era legal com um corredor com várias cabinhes, tinha uma boa estrutura e o atendimento era bom.

Seria ótimo se a cidade não fosse tão quente e se na cabine não fizesse tanto calor mesmo com um ventilador. Dormi mal naquela noite pois não tinha outra opção. Mas as noites seguintes foram tranquilas pois ali era hostal e pousada com um lado só de suítes com um bom ar condicionado e vagou uma. Não precisei procurar outro lugar.

Ele não oferece café da manhã, mas tem uma cozinha coletiva e nas suítes tem uma cozinha compacta. Mas não precisei usar porque na mesma rua tem um café com boas opções, bons preços e são simpáticos.

A localização também não é ruim. Está só a três quadras da praça principal. Mas na cidade existem várias opções de hospedagem.

>> Confira o meu roteiro de viagem.
>> Leia todos posts sobre o México.

Litoral do Espírito Santo. Conheça as praias Capixabas

Praias Capixabas

O estado do Espírito Santo tem um litoral extenso oferecendo muitas opções de praias. Temos praias pequenininhas e praias extensas, praias dentro de áreas de proteção, praias desertas e praias urbanas, e temos até praia oficial de naturismo. São só 14 municípios litorâneos, mas eles ocupam mais de 400km da costa.

Aqui no blog já dei dicas de praias de alguns desses municípios. Neste post vou relembrar alguns lugares e colocar os links para você ir direto aos posts com mais informações. No final vou dar dicas de praias que ainda não tem informações delas aqui no blog. Aproveite!

Praias Capixabas

Aracruz

Localizado no litoral norte do Espírito Santo, o município de Aracruz têm praias extensas, de areia grossa e que formam um belo cenário. Muitas bem movimentadas como a praia de Barra do Sahy, mas também têm outras mais tranquilas. A maioria é de fácil acesso e com estrutura de quiosques e chuveiros. Aqui no blog tem post com sugestão de 5 praias para você ficar bem em Aracruz, e também tem post só sobre a praia de Gramuté que vale muito a pena conhecer. Neste post tem dica de outras duas praias: Formosa e Barra do Riacho.

Praias Capixabas
Praia Formosa

A praia formosa é uma das primeiras de quem chega ao município pela Rodovia ES 010 vindo de Vitória. É Extensa, boa para caminhar. Na maioria das vezes o mar é calmo, em uma parte têm arrecifes que formam pequenas piscinas naturais e tem uma boa vegetação com arvores para sombra.

Fica na beira da rodovia com fácil acesso e em frente a colônia de férias do SESC que oferece hospedagem. Sem estrutura de quiosques e sem vendedores, é preciso levar o que comer e beber. No verão conta com presença de guarda vidas.

Praias Capixabas
Praia de Barra do Riacho

Ainda em Aracruz, mais ao norte, está a praia de Barra do Riacho. Ela é separada da comunidade de mesmo nome pelo Rio Riacho. Por isso  também é conhecida pelos moradores (inclusive eu que sou de lá) como a “praia do outro lado”.

Para chegar até ela é preciso fazer a travessia com algum tipo de embarcação, não tem ponte. Esta dificuldade faz com que ela se mantenha preservada já que é frequentada por poucos moradores e por alguns surfistas quando acontece algum evento. Não tem estrutura alguma, inclusive sombra. Portanto tem que levar o que for precisar.

Afastada, é uma praia bem natural com vegetação de restinga e sua areia bem grossa diferencia das outra. Lugar ideal para quem quer sossego com um marzão a sua frente. É bonita e um mergulho ali faz muito bem. Mas tem que ter cuidado, pois é ‘mar de tombo’ inclinado e com as ondas quebrando logo na entrada.

Serra

O município de Serra faz parte da região da Grande Vitória. Ao norte da capital, Serra têm praias muito frequentadas por quem gosta de praias extensas de mar aberto e com estrutura. Entre outras praias se destaca a praia do balneário de Manguinhos, ou melhor, as praias, já que devido a sua extensão apresenta características diferentes. Ao norte têm piscinas naturais formadas pelos arrecifes. No centro do balneário a opção é para quem quer ficar próximo a bares e restaurantes. E ainda tem ao sul a Ponta dos Fachos, uma região menos urbanizada com boa faixa de areia e onde o comércio é feito por um ou outro vendedor.

Praias Capixabas

Praias Capixabas

Praias Capixabas

Ao sul, colada em Manguinhos, está a Praia de Bicanga. É também uma boa praia e o que a difere é que ela têm arvores que proporcionam um boa sombra e quiosques junto a praia. Da Ponta dos Fachos chega-se a ela caminhando pela praia, basta passar por um estreito e raso rio que separa as duas praias.

Praias Capixabas  Praia de Bicanga

Também é em Serra que está a única praia de falésias do litoral norte Capixaba. A praia não é apropriada para banho devido as pedras, mas tem um belo visual. Ela fica na entrada de Nova Almeida de quem chega por Jacaraípe.

Praias Capixabas
Praia das Falésias

Guarapari

Sem dúvida alguma é a cidade mais famosa do Espírito Santo e isso se deve às suas inúmeras praias. E não são só a quantidade (há quem diga que chega a 50), mas também a beleza e qualidade delas que atraem tanta gente. Tem praia pequenininha como a Praia das Virtudes no centro da cidade entre prédios, e a Praia do Morcego cercada por pedras e mata. Mas têm também, para quem prefere, praias maiores e com boa estrutura. Enfim, tem de todo tipo e elas estão no post sobre as praias de Guarapari.

Praias Capixabas
Praia das Virtudes

Praias Capixabas
Praia do Morcego

Anchieta

Vizinho a Guarapari está o município de Anchieta. Sim, o nome é em homenagem a São José de Anchieta que viveu os seus últimos anos ali. Mas não pense que lá tem somente um belo santuário dedicado a ele, não. Em Anchieta estão belas e boas praias do litoral sul capixaba. Você irá se surpreender! Entre elas está a Praia de Ubu, cuja palavra significa queda em tupi-guarani. Lá no post eu explico porque recebeu esse nome.

Praias Capixabas
Praia da Boca da Baleia

Marataízes

Também no litoral sul está o município de Marataízes com mais de 25km de boas praias. Mas a que chamou mesmo a minha atenção (e continua chamando) quando fui lá pela primeira vez foi a Praia das falésias, que na verdade não é só uma. O lugar rústico e os paredões que podem chegar a 40m de altura formam um belo cenário. O lugar logo atrai pelo visual que se tem ainda da estrada que passa na parte alta próxima às encostas e que te convida a parar em algum mirante. Se você parar, vai querer descer. E não hesite, desça.

Praias Capixabas


Vitória

A nossa capital também tem boas praias, mas ainda não tem post sobre elas aqui no blog. Vitória é uma cidade dividida em continente e ilhas. Na parte continental está a maior delas: praia de Camburí. Já as menores estão nas ilhas onde pequenas enseadas formam agradáveis e bonitas praias como a Praia das Castanheiras na Ilha do Frade, e a Praia da Direita na Ilha do Boi. As praias de Vitória são abertas para uma baía, portanto são de mar calmo praticamente sem ondas. Só as maiores contam com quiosques.

Praias Capixabas
Praia das Castanheiras na Ilha do Frade
Praias Capixabas
Praia da Direita na Ilha do Boi

São Mateus

Aqui no blog também não tem post sobre as praias do município de São Mateus, mas vale muito a pena conhecê-las. São Mateus está no litoral norte, distante de Vitória, mas também têm praias em ilha. Só que diferente da capital, lá elas são extensas, mar aberto e a água é morna. Na ilha de Gurirí se destacam a Praia Central, próxima a bares, restaurantes e meios de hospedagem. E a Praia do Bosque que chama atenção pela sua vegetação.
      
Praias Capixabas
Praia Central

Praias Capixabas
Praias Capixabas
Praia do Bosque
Estas são algumas praias capixabas. O litoral do Espírito Santo tem muito mais praias e com o tempo outras  serão acrescentadas neste post.

O que fazer próximo a Gramado, Rio Grande do Sul

O que fazer próximo a Gramado

Gramado atrai muitos turistas para a Serra Gaúcha, só seus atrativos e eventos como o Natal Luz já ocupam alguns dias dos seu visitantes. Mas outras cidades próximas também oferecem boas atrações, e algumas delas já fazem parte do “pacote” de viagem a Gramado. E a partir dela é possível fazer vários passeios bate e volta. Veja nesse post o que fazer próximo a Gramado.


Você pode fazer facilmente os passeios sugeridos se estiver com carro ou pode contratar um dos passeios oferecidos por uma das várias agências da cidade. Também têm Guias de Turismo com transporte que fazem passeios.

Canela

É a cidade mais próxima distante somente 7km. Os desavisados passam de uma para a outra sem perceber. Canela tem mais atrativos voltados para o ecoturismo do que Gramado, mas também oferece outras atrações. As duas cidades têm muitos atrativos com os mesmos temas, como se disputassem, mas na verdade uma complementa a outra.

O que fazer próximo a Gramado

Um dos cartões postais de Canela é a Igreja Matriz de Nossa Senhora de Lourdes conhecida como a Catedral de Pedra. Localizada na praça principal da cidade a igreja chama atenção pelas suas paredes revestidas de pedra e com a sua torre de 65 metros. Entrada sem ingresso.

Ainda no caminho entre as duas cidade uma atração que chama atenção é o Mundo a Vapor, um parque temático fechado onde no seu interior as atrações em miniatura mostram o mundo da máquina e do vapor, e um pequeno trem faz um passeio com os visitantes. Tem também lojas de bebidas e artesanato. Já do lado de fora tem um trem pendurado na sua fachada representando um acidente que aconteceu em Paris. Ingresso R$ 40,00 inteira e grátis para crianças até 3 anos.

O que fazer próximo a Gramado

Outra atração de Canela, mas que muita gente pensa que é de Gramado é a Cascata do Caracol. A cachoeira com queda de 130m dá nome ao parque onde ela está. No Parque do Caracol o visitante tem acesso a trilhas, mirante, observatório, escadaria de 730 degraus que leva à parte inferior da cascata. O lugar tem estrutura com lojas e restaurantes. O ingresso custa R$ 18,00 inteira.

Mas eu particularmente prefiro ver a Cascata do Caracol dos Bondinhos Aéreos Parque da Serra que ficam logo depois do Parque do Caracol. Lá tem uma visão aérea não só da cascata, mas de boa parque do parque. O bondinho é fechado e tem 3 estações onde é permitido descer para conhecer. Além do bondinho têm lojas (como em todo atrativo da região) e uma tirolesa muito boa. Este é um passeio que não pode faltar em um tour por Gramado e Canela. O valor do ingresso que dá acesso ao parque e uma volta no bondinho é de R$ 46,00 inteira, criança até 5 anos não paga. Para chegar lá só de carro, Tour e Bustour.

O que fazer próximo a Gramado

Na estrada que dá acesso ao parque têm algumas atrações. Três eu conheço e indico. O Castelinho do Caracol, uma das primeiras construções na região e onde tem um dos mais famosos Apfelstrudel (torta de maça). Vale a pena, ingresso R$ 10,00 para visitar o interior do castelinho. Chega até lá de carro, tour e Bustour.

Ainda na gastronomia, é nessa estrada que está localizada a Churrascaria Garfo e Bonbacha onde é apresentado um show gaúcho. E a outra atração é o Parque Vale dos Dinossauros com réplicas que movimentam, indicado para quem estiver viajando com crianças. Valor do ingresso R$ 60,00. Chega até lá de carro, tour e Bustour.

O que fazer próximo a Gramado

Se estiver em Gramado na época no Natal Luz aproveite para conhecer o Sonho de Natal. A exemplo da cidade vizinha, Canela promove uma boa programação natalina e de graça.

Três Coroas

Distante 30km de Gramado saindo pela RS 115 está o Templo Budista Khadro Ling. Aberto a visitação, ele tem recebido cada vez mais turistas da região. Veja mais informações sobre o templo no site oficial.


Nova Petrópolis

Saindo de Gramado pela RS 235 chega se a Nova Petrópolis distante 30km de Gramado. Com uma arquitetura típica alemã e cercada por natureza. Muitas pessoas só passam por ela indo para algum destino mais famoso na Serra Gaúcha, mas ela oferece alguns atrativos.

Entre outros tem na praça principal o mais conhecido deles: o labirinto verde. Pare algum tempo e tente encontrar o caminho. Outro atrativo pertinho da praça é o Parque Aldeia do Imigrante com construções típicas que representam uma aldeia, além de pedalinho, restaurantes e onde acontecem festas.

Eu nunca consegui ficar em Nova Petrópolis para conhecer melhor a cidade. Há quem diga que ali que estão os melhores cafés coloniais da região e é lá que acontece a Noite Alemã oferecida em Gramado.

Bento Gonçalves, Garibaldi e Carlos Barbosa

Estas 3 cidades fazem parte de um dos roteiros mais vendidos em Gramado: Tour da uva e do vinho. Normalmente é oferecido como um bate e volta, mas a região têm atrações para que você fique mais tempo.

O que fazer próximo a Gramado

Bento Gonçalves distante 110km de Gramado é capital brasileira do vinho, e Garibaldi é a Terra do Espumante. As duas cidades são responsáveis pela maior parte da produção de espumantes e vinhos nacionais. Sendo assim, a maior atração é visitar as vinícolas da região e aproveitar para degustar os seus vinhos.

O que fazer próximo a Gramado
Igreja Católica em forma de barril de vinho Bento Gonçalves

Em Bento Gonçalves pode ser visitada a Cooperativa Vinícola Aurora, a maior delas com mais de 1100 famílias associadas. A visita gratuita é guiada entre os barris na parte industrial, não passa pelos parreirais, mas vale a pena. Termina com degustação e loja. Já nas vinícolas de Garibaldi você vai saber sobre e degustar os espumantes. Garibaldi é uma cidade que tenho vontade de visitar com mais tempo, o blog Viajando com Manu têm dicas legais.

O que fazer próximo a Gramado

Na área rural entre as duas cidades está o Vale dos Vinhedos com várias vinícolas e restaurantes abertos ao público. A visita na maioria das vinícolas é paga e tem que ser agendada, mas mesmo que não consiga fazer a visita em uma delas vale o passeio pela região com os belos parreirais e bons restaurantes. 

O que fazer próximo a Gramado
Vale dos Vinhedos em Bento Gonçalves

Outra atração que você pode incluir nos seu pela região é a Epopeia Italiana em Bento Gonçalves. Um teatro interativo onde o público acompanha os protagonistas pelos cenários que contam a saga de um casal de imigrantes. Ao final tem degustação de suco, vinho e biscoito. É bem feito e está no contexto da região. Tempo aproximado de 30 minutos, Mais informações no site.

O que fazer próximo a Gramado

E o passeio mais procurado da região é o de Maria Fumaça ou Trem do Vinho. Tem duração aproximada de uma hora e meia com apresentações culturais no trajeto. As saídas acontecem de Bento Gonçalves e Carlos Barbosa com parada em Garibaldi. Nas estações têm mais música e degustação de vinho, espumante e suco. É um passeio bem animado. Mais informações no site.

O que fazer próximo a Gramado
Os turistas são recepcionados com música nas estações

O que fazer próximo a Gramado
Apresentação musical que acontece dentro do trêm

Caxias do Sul

Distante aproximadamente 70km de Gramado e 40km de Bento Gonçalves, está a cidade de Caxias do Sul com a segunda maior população do Rio estado. Nela é possível reviver a historia dos imigrantes visitando vinícolas e fazendo roteiros temáticos. É lá que acontece a Festa da Uva, e uma das principais atrações da cidade é a Igreja de São Pelegrino com pinturas do artista italiano Aldo Locatelli, vale muito a visita.

Cambará do Sul

Distante aproximadamente 130km de Gramado está esta cidade que é a porta de entrada para quem quer conhecer os cânions Itaimbezinho e Fortaleza, espetáculos da natureza. As agências em Gramado oferecem passeios de um dia, mas se puder vá e fique mais tempo. Em 2006 eu estive lá, veja como foi.

O que fazer próximo a GramadoCânions em Cambará do Sul