Como ir de Puno a Cusco em ônibus de turismo

   Como ir de Puno a Cusco em ônibus de turismo
   
Quem visita Puno provavelmente está vindo ou indo de Cusco. No meu caso eu estava indo e precisava escolher o transporte que usaria. Ir de avião é possível usando o aeroporto de Juliaca, uma cidade vizinha, mas não era o que eu queria. A minha vontade mesmo era fazer a mesma viagem que Patrícia do Turomaquia fez, mas o valor alto da passagem me proibiu. Então sobrou ir de ônibus com a opção de fazer uma viagem direta num ônibus de linha ou ir num ônibus de turismo fazendo paradas em alguns atrativos.     
A viagem direta tem uma duração aproximada de 7 horas e é indicada para quem não tem muito tempo, quer ir logo para a outra cidade sem ficar parando para conhecer nada no caminho ou quer economizar pois a passagem é beeem mais barata, custa a partir de 35 soles. Nesse caso tem a opção de viajar durante o dia ou à noite. A viagem em ônibus de turismo tem uma duração aproximada de 10 horas, é feita somente durante o dia (lógico) e o valor é a partir de 45 dólares com direito a guia de turismo, serviço de bordo e almoço. Nesse valor os ingressos não estão inclusos, mas não sei o que aconteceu que não precisei pagar os ingressos, se informe.    

Parque arqueológico Raqchi

Como eu teria tempo suficiente em Cusco preferi dormir mais uma noite em um quarto confortável só pra mim e só no outro dia viajar no ônibus de turismo. Providenciei a viagem no próprio hotel na noite anterior, não sei se é sempre fácil assim, mas se preferi pode comprar no site das empresas . Várias fazem o percurso, eu viajei pela Wonder Peru Expedition.
O embarque aconteceu na rodoviária (parece óbvio, mas no Peru muitas cidades não tem rodoviária) e saímos no horário às 7h e 15min. O ônibus era climatizado, com banheiro, mas sem Wi-fi. Oferecia um certo conforto e ficou melhor ainda devido o grupo ser de umas 20 pessoas e assim havia bastante poltronas vazias e viajamos sem aperto. Somos acompanhados por um guia de turismo que passa as informações durante o trajeto e nas paradas, o nosso era tranquilo e passava as informações na medida certa. Tem também uma comissária que após algumas paradas serviu café, chá, água e refrigerante.

Eu era o único brasileiro no pequeno e tranquilo grupo, não se ouvia nenhuma conversa dentro do ônibus. Foi muito bom o grupo ser pequeno pois nas paradas vi outras empresas com grupos maiores, havia grupos tão grandes que as pessoas usavam crachá para identificarem o ônibus. Não sei se dei sorte ou se a empresa ainda não é conhecida, a experiência foi boa. As paradas não foram corridas e o colega guia não era nenhum estressado. 
Como ir de Puno a Cusco em ônibus de turismo
Toritos de Pucará
   
São 390 km que separam as duas cidades e a paisagem formada por montanhas e vales é de encher os olhos. São 4 paradas para visitação em sítios históricos, igrejas e museus e elas vão ficando mais interessantes a medida avançamos. Portanto ela é serve como introdução do que será visto em Cusco e região. As paradas são:
   

Pukara:

A primeira parada aconteceu aproximadamente 2 horas depois de nossa saída, no distrito de Pukara ainda na região de Puno. Visitamos o sítio arqueológico de Kalassaya onde pudemos ver bases de edifícios monumentais em forma de pirâmide que funcionavam como cerimoniais, Kalassaya foi a mais importante delas. Esse foi o primeiro sítio arqueológico que conheci depois de dias viajando pelo Peru

Dali seguimos para o centro do vilarejo, fomos os primeiros a chegar e as ruas estavam vazias. As construções são simples e numa delas está o Museu Lítico com peças encontradas durante escavações nos sítios arqueológicos da região. Tem peças interessantes, mas o museu é pequeno e a visita guiada foi rápida. Ainda tivemos um tempo livre na Plaza de Armas onde tem a imponente igreja dedicada a Santa Isabel, mas não foi possível conhecer internamente pois estava fechada. Mas o que chamou a minha atenção na vila, além do tamanho da igreja, foram pequenos touros em cerâmicas no alto das construções e que a partir dali vi muitos em vários lugares. Depois descobri que são os Toritos de Pucará, símbolos de proteção, felicidade, saúde e prosperidade e por isso colocados no alto das casas.

Detalhe: Muitas empresas só visitam o vilarejo não indo ao sítio arqueológico, o que é uma pena. Se a igreja estiver fechada só será feita uma visita rápida no Museu.
Sítio arqueológico de Kalassaya
Sítio arqueológico de Kalassaya

Igreja de Santa Isabel de Pucara
Igreja de Santa Isabel de Pucara
    
    

La Raya:

A segunda parada acontece já na divisa em Puno e Cusco, é o ponto mais alto do trajeto (4.335 m). É uma parada rápida para fotos e na paisagem estão as montanhas com os seus cumes nevados da cordilheira. Do local se avista  o nevado Chimboya onde está a nascente do Rio Amazonas. Só para variar um pouco, no local têm várias bancas com produtos artesanais e senhoras com animais para tirar fotos em troca de algum dinheiro.    
Como ir de Puno a Cusco em ônibus de turismo
   

Sicuani:

Já passava do meio-dia quando fizemos a parada para o almoço, era só o nosso grupo no restaurante, um sossego. O almoço incluso era um buffet com pratos típicos e saladas, a bebida inclusa era chá. A comida estava saborosa e como era um restaurante turístico havia um grupo tocando as mesmas músicas tradicionais peruanas que ouvi outras vezes então sentei na mesa mais distante possível.
   
   

Sítio Arqueológico Raqchi:

Não deu tempo nem de cochilar depois o almoço porque logo chegamos a nossa quarta parada. Um sítio arqueológico Inca com o que sobrou do Templo de Wiracocha (o deus supremo dos Incas), as ruínas são grandiosas e as paredes altas, grossas e alinhadas dão uma noção do tamanho do maior templo Inca. Fizemos uma visita guiada pelo que sobrou do templo e outras construções arredondadas que poderiam ser residências ou armazéns, o complexo impressiona. Depois tivemos um pequeno tempo livre na praça do distrito de San Pedro de Cacha na entrada do sítio, onde tem uma uma igreja bonita e lojas de artesanato.     
    
  
Parque arqueológico Raqchi
 O que sobrou do Templo de Wiracocha, o maior templo Inca




Parque arqueológico Raqchi
Parque arqueológico Raqchi
Igreja de católica na entrada do sítio arqueológico de Raqchi

Andahuaylillas:

A nossa última parada aconteceu numa pequena vila de ruas estreitas que mal passava o ônibus. fiquei pensando o que poderia ter ali. Provavelmente só passaríamos pela vila e iríamos em direção a mais um sítio histórico. Mas não, paramos na praça para conhecermos a igreja de São Pedro Apóstolo Andahuaylillas, que por fora não chama tanta atenção, mas quando entramos entendi porque ela é conhecida como a Capela Sistina da América, impossível não ficar impressionado. Trata se de uma obra jesuítica e o seu interior tem as paredes cobertas com afrescos. Não é permitido tirar fotos, mas é fornecido um CD com fotos e informação da dos Jesuítas na região. Esta igreja não fica distante de Cusco (30 km) e é possível conhecer em algum passeio oferecido na cidade.
Dali seguimos para Cusco e chegamos logo depois das 17 horas. A parada do ônibus é no escritório da empresa, não passa pela Plaza de Armas onde muita gente fica hospedada. Peguei um taxi que custou 10 soles.


Igreja de São Pedro Apóstolo AndahuayillasIgreja de São Pedro Apóstolo Andahuayillas

Igreja de São Pedro Apóstolo AndahuayillasDetalhe da fachada


Igreja de São Pedro Apóstolo Andahuayillas
Praça em frente a igreja

Esta viagem também acontece no sentido Cusco – Puno, mas os atrativos vão ficando menos interessantes. e ao final você poderá achar que não valeu a pena.

2 comentários :