Apresentações de segunda no Festival de Inverno de Domingos Martins

Festival internacional de Inverno de Domingos Martins
Ney Conceição e convidados

A cidade de Domingos Martins localizada nas montanhas capixabas e distante 45 km de Vitória, realiza desde 1992 o Festival Internacional de Inverno (já escrevi sobre ele aqui, aqui e aqui). A edição deste ano teve início dia 07 de julho e continua até domingo dia 16. O festival é um bom momento para participar de alguma oficina ministrada por grandes mestres da música e/ou para ouvir música de qualidade e assistir bons shows.
   
  
Festival internacional de Inverno de Domingos Martins

Em edições anteriores fui nos finais de semana que é quando acontecem os principais shows e a cidade está mais movimentada, ou seja, eu ia pela festa. Este ano fui na contramão e pela primeira vez fui ao festival durante a semana, queria curtir o frio na cidade e assistir bons shows sem ter que disputar espaço com o público. Gostei da experiência e nos próximos anos devo repetir.

Nos fins de semana o público é maior e aí se quiser ver sentado o show no palco principal tem que chegar bem antes e ficar esperando um tempo. No espaço Gourmet tem que disputar uma mesa e ter paciência e a apresentação que acontece no lugar é prejudicada. Durante a semana o público é bem menor, mas de qualidade. Tem lugar sobrando e os artistas estão mais relaxados e curtindo tudo aquilo, ficam mais próximos do público. Na saideira tocam uma, duas, três, …

Fui ao festival na segunda-feira e a cidade estava tranquila. Durante o dia era possível ouvir o som que vinha das oficinas que aconteciam em alguns lugares da cidade. À noite aconteceram as apresentações que com o publico pequeno se tornaram shows intimistas.

Festival internacional de Inverno de Domingos Martins
Salsa Brezinski e The Blues no Palco Livre

A primeira apresentação da noite aconteceu no palco principal montado na praça da cidade, foi do Coral de crianças da comunidade de Califórnia, interior do município. Quando cheguei já havia começado e apesar de um bom público, não tive problemas para encontrar uma cadeira vaga. As crianças cantaram muito bem, mas eu queria ouvir um som diferente então fui até o Palco Livre na Rua de Lazer para ver o que rolava por lá e já estavam em ação Salsa Brezinski e The Blues com um som da melhor qualidade, me juntei ao público. Com o fim do show voltei a praça principal da cidade, mas cheguei tarde para a apresentação do Coral Artes Canto que se apresentou na Igreja Luterana, mas cheguei a tempo do showzaço de Ney Conceição e Quinteto que acontecia no Espaço Gourmet (primeira foto do post). Se tivessem somente eles já estava bom, mas ainda teve convidados bem especiais como Toninho Horta. Foi o melhor da noite.

Festival internacional de Inverno de Domingos Martins
Tony Botelho na Jam Session dos professores

Para fechar à noite só precisei atravessar a rua e assistir no Palco MPB a Jam Session dos professores das oficinas. Tocaram muito e parecia que não queriam ir embora. E eu no meio do público, mesmo com o frio que fazia, não sai dali antes dos artistas. No dia seguinte retornei pra casa, e mesmo só por uma noite, o festival este ano ano foi o que mais aproveitei.

Um comentário :

  1. Amei as observações. Em 2018 seguirei suas sugestões. Marise.

    ResponderExcluir