O que (tentar) conhecer em Teresina

Teresina

Visão do mirante da ponte estaiada

 

Acredito que uma cidade sempre tem algo de interessante para conhecer, mesmo que não seja um destino turístico como Teresina, a capital do Piauí. Pensando assim coloquei a cidade no roteiro quando viajei pro lado de lá. Tirando o fato de ser a única capital no nordeste brasileiro que não fica no litoral, eu não sabia mais nada da cidade, não sabia o que encontrar. Dei uma olhada na internet pesquisando “o que fazer em Teresina”, o pouco que encontrei descrevia o atrativo, mas sem detalhes de como ir , horários e etc.

 

Já no aeroporto constatei que teria dificuldades para obter informações sobre a cidade. Precisava de orientações para conhecer os atrativos anotados, então procurei o balcão de informações turísticas. Fui atendido por uma moça muito simpática e prestativa, mas não tive respostas para as minhas indagações. Pedi um mapa, não tinha porque tem um aplicativo de turismo para baixar no celular. Ok, vamos diminuir o uso de papel. Baixei o aplicativo que inicialmente achei interessante e bom, mas depois vi que as informações eram gerais como em outras fontes de pesquisa, desinstalei.

 

Pedi sugestões do que conhecer, ela foi falando, mas não consegui me orientar. Pedi para que mostrasse um atrativo num grande mapa que estava na parede, não foi possível pois o mapa era antigo e o atrativo não estava nele. Perguntei como ir ao centro da cidade, agradeci e fui embora. Quero deixar claro aqui que serviço de informações turísticas ineficiente não é privilégio de Teresina não, em vários destinos turísticos existe este problema. 

 

Teresina

Praça Conselheiro Saraiva bem arborizada, amenizando o calor

 

Quando sai do aeroporto constatei outra coisa, que Teresina faz jus  ao título de capital mais quente do país. Pelo menos disputa de igual pra igual com Manaus, Belém e Cuiabá. Vi logo que outubro não é uma boa época para visitar a cidade, sofri andando pelas ruas. Parece que entre maio e agosto é menos quente e antes de maio tem chuva.

 

Como estava sem saber por onde começar, resolvi ir para o centro da cidade na Praça da Bandeira, sempre tem algum atrativo nestas praças. Durante o percurso pude observar que Teresina é uma cidade limpa, plana, organizada com ruas e avenidas largas. É da segunda metade do século XIX e foi planejada para ser a nova capital do Piauí, antes era a cidade de Oeiras. Era um sábado e as ruas estavam tranquilas e quase vazias, mas no centro próximo a praça havia uma movimentação grande de pessoas, carros e claro, barulho. Típico de região de comércio.

 

Acertei em ir para a Praça da Bandeira pois a maioria dos atrativos se encontra próximo a ela, sendo possível fazer o tour a pé. Somente um ou outro fica fora do centro. Ao lado da Praça da Bandeira está um dos lugares que anotei para conhecer, o MUSEU DO PIAUÍ. Mas logo vi tapumes e uma placa informando obras de restauração (no aeroporto não fui informado), fiquei frustrado por não poder visitar talvez um dos principais atrativos, mas gostei de ver que estavam cuidando dele.

 

Teresina

Catedral Nossa Senhora das Dores

 

O museu funciona em um sobrado colonial de 1859 construído para ser residência de um Comendador. Depois funcionou como Palácio de Governo, poder judiciário e a partir de 1980 passou a abrigar o museu que já existia e funcionava no Arquivo Público. Possui o acervo eclético com 7.000 peças com um perfil histórico, artístico e antropológico, retratando o Piauí desde a pré-história. Com as obras o museu ganhará melhorias na estrutura física, mais conforto, novas salas e uma pinacoteca. O museu é aberto ao público.

 

Poucos metros do museu, em frente a Praça da Bandeira, está a igreja mais antiga da cidade a matriz NOSSA SENHORA DO AMPARO. Uma igreja bonita e imponente, mas estava fechada e não pude conhecer o seu interior.

 

A minha programação era de ficar uma tarde e uma noite em Teresina, e seguir viagem na manhã seguinte. Não tinha hospedagem reservada e passei a não ter certeza se dormiria na cidade e não fui procurar lugar pra ficar. Deixei a bagagem no guarda volume da rodoviária e no fim do tour resolveria o que fazer.

 

Teresina

Theatro 4 de setembro

 

Recomecei o Tour a pé no centro da cidade numa praça bem arborizada, e entre as arvores aparecia torres de uma igreja. Como gosto de conhecer igreja, lá fui. A praça é a Conselheiro Saraiva, grande e bem cuidada e a igreja é a CATEDRAL NOSSA SENHORA DAS DORES. Estava aberta e finalmente consegui entrar em um atrativo. O seu interior é simples e bonito, e apesar do tamanho as arvores não deixam ela ter o destaque de uma catedral, normalmente elas são grandiosas. A igreja de Nossa Senhora do Amparo chama mais atenção. Não sei se a catedral fica aberta diariamente ou se dei sorte, só havia dois senhores trabalhando e não consegui nenhuma informação.

 

De um lado da praça está a Casa da Cultura, não visitei pois também estava fechada. Segundo o site ela é aberta a visitação de segunda a sexta das 8h às 18h e no sábado das 9h às 13h. Do outro lado da praça está o Colégio São Francisco de Sales, instalado em uma edificação que chama atenção.

 

Da catedral sai procurando o THEATRO 4 DE SETEMBRO e acabei dando uma volta maior. Mas caso vá a Teresina o menor trajeto é pela Rua Felix Pacheco seguindo pela Rua 10 de Maio, uma distância de 300 metros. Muitos estabelecimentos comerciais estavam fechando e as ruas já estavam mais vazias.

 

Teresina

Monumento no pátio do Centro de Artesanato

 

O tamanho do teatro me surpreendeu, imaginei ser menor. O prédio com uma fachada simples é do finalzinho do século IXI e o seu nome é a data de início da construção. Ele estava aberto, fui até a bilheteria pedir informações sobre a visita, a atendente não era funcionária do teatro e estava ali só para vender ingressos da apresentação da noite e não soube informar. Mas foi gentil e pediu que esperasse pois iria perguntar a alguém. Aguardei com esperança de poder fazer a visita interna, mas ela voltou com a informação de que eu teria que procurar a administração do teatro. Entendi como um não e desisti.  Esta semana telefonei pra lá para tirar a dúvida (não achei nada na internet que informasse), quem atendeu mostrou insegurança, mas informou que é preciso ligar e agendar. O telefone é (86) 3222-7100, boa sorte!

 

O teatro fica na Praça Pedro II e do outro lado uma construção grande chamou a minha atenção, fui até lá. Se tinha identificação na fachada não vi, entrei onde parecia uma recepção. Havia uma moça e perguntei o que era ali, mas ela estava ali só esperando alguém e não sabia o que era, imaginava ser um hospital. Vi logo que hospital não era, havia um balcão de informações turísticas, mas estava vazio e só tinha uns panfletos de propaganda do comércio local. Durante a visita descobri que era  o CENTRO DE ARTESANATO MESTRE DEZINHO.

 

Teresina

Palácio Karnak, sede do poder executivo

 

Ele funciona no prédio que abrigou o Comando da Polícia Militar, tem um pátio grande onde parece que acontece algumas apresentações culturais, e ao redor ficam as lojas. Tem também um quiosque que funciona como bar que serve pratos típicos. Era por volta das 14 horas e talvez eu tenha chegado no final do expediente pois o centro de Artesanato estava praticamente vazio, somente uns moradores estavam no bar. Era um dos atrativos da minha lista e eu estava curioso para conhecer o artesanato Piauiense, mas não foi ali. Apesar de ter muitas lojas, só uma ou outra ainda estava aberta.  Centro de Artesanato, principalmente no nordeste, normalmente é colorido, vivo e ali não vi isto, senti um certo descaso com o lugar. Fiquei ali só o tempo de beber uma cerveja para aliviar o calor.

 

Saindo pela direita e seguindo pela Avenida Antônio Freire logo cheguei ao PALÁCIO KARNAK, sede do governo do Piauí. Uma construção toda branca, bonita, que chama atenção, lembra um templo grego, bem diferente das outras construções da região. Ao redor do prédio tem um bem cuidado jardim de Burle Marx. Um lugar que dá vontade de entrar para conhecer, mas estava fechado. O máximo que consegui foi tirar uma foto da grade do portão. Ah, o nome é de um templo do Egito. Não é aberto a visitação.

 

Teresina

Igreja de São Benedito

 

Ao lado do palácio está a Praça da Liberdade tendo ao centro a IGREJA DE SÃO BENEDITO, outro atrativo da lista. Da segunda metade do século XIX, é um dos principais templos católicos da cidade. Com 40 metros de altura está em destaque no final de uma escadaria. Não sei como é o seu interior, dei com a cara na porta. 

 

Alí na igreja terminei o meu tour a pé. A esta hora o centro estava praticamente vazio e o calor estava de matar. Na minha lista ainda havia três atrativos para conhecer (?) fora do centro, mas devido o que não vi, fiquei com o pé atrás em continuar. Perguntei sobre os lugares aos taxistas e moto taxistas , não transmitiram muita firmeza nas informações (um deles sugeriu os shoppings), mas fui conhecer o mais próximo dali que era o COMPLEXO TURÍSTICO DA PONTE ESTAIADA.

 

Uma obra de engenharia bonita com um eixo central tendo no alto de 95 metros um mirante com fotos da cidade e que proporciona uma visão de 360° da cidade de Teresina. A subida é por um elevador panorâmico, mas é só isso. Pra mim “Complexo turístico” transmite a ideia de vários atrativos em um só lugar, mas não é esse o caso. É só a ponte que cruza o Rio Poti com um mirante (mesmo que o mirante seja interessante), não havia uma lanchonete nem restaurante. O nome do atrativo criou muita expectativa em mim. O tempo de permanência no mirante é limitado em 10 minutos, eu desci antes. A visita acontece de terça a domingo das 11h às 18h e tem um custo de R$ 3,00. Não tem ponto de ônibus próximo dali, é preciso pegar taxi ou moto taxi.

 

Teresina

Visão do elevador panorâmico da ponte estaiada

 

Depois da visita frustrada ao “complexo turístico” desisti de continuar o tour . Ainda faltava o bairro Poty Velho, onde começou Teresina e onde estão mais dois atrativos: Polo Cerâmico Artesanal, local que reúne grande número de artesãos, e o Parque Ambiental Encontro dos Rios, onde os rios Parnaíba e Poty que cortam a cidade se encontram. Desisti de pernoitar na cidade, fui para a rodoviária e embarquei no ônibus com destino a cidade de Piripiri para no dia seguinte conhecer o Parque Nacional de Sete Cidades.

 

Tudo bem que Teresina não deve receber tantos turistas, mas a cidade deveria dar mais atenção aos atrativos, alguns lugares que consegui visitar achei mal aproveitados e até precisando de cuidados. Tudo bem que eu fui num sábado e não observei os horários de visitação, mas não entendo como deixam atrativos fechados (ou com horários restritos) no fim de semana, sendo que é quando as pessoas têm tempo para poder visitá-los. Também falta informações tanto na cidade como na internet (inclusive em blogs).

 

Sei que fiquei pouco tempo na cidade e que o calor me incomodou muito, mas Infelizmente não tive uma experiência legal em Teresina e não encontrei a cidade que gostaria. Esta foi a minha experiência, mas a sua poderá ser melhor.

 

TRANSPORTE

A cidade é atendida por ônibus sendo que alguns têm ar condicionado (pelo calor que faz deveria ter em todos), van, taxi e moto taxis (achei o valor caro). Tem também metrô mas faz um percurso limitado, não usei. A rodoviária fica distante do centro.

2 comentários :

  1. Que linda a fachada da Palácio Karnak e que pena saber que uma capital não divulgue minimamente seus atrativos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É uma pena mesmo, viu. Em muitos lugares ainda não entenderam a importância do turismo. Obrigado pela visita ao blog.

      Excluir