Impressões de Valparaíso–Chile

Valparaíso - Chile

 

Depois de viver o dilema de escolher entre ir a Valparaiso num bate e volta ou ir e pernoitar, e escolher entre ir com uma agência ou ir por conta própria, desembarquei na rodoviária da cidade para um passeio de um dia. A impressão que tive na chegada não foi muito boa, achei a cidade feia, caótica, prédios mal cuidados e pichados e para piorar estava nublado. Li e ouvi muitos comentários negativos sobre a cidade, que não valia a pena perder muito tempo em Valparaíso e o melhor era aproveitar Viña Del Mar. Eu não dava bola,  achava exagero e aquilo fazia com que eu quizesse mais ainda conhecer a cidade. Mas com a minha primeira impressão acabei ficando com o pé atrás.

 

Valparaíso - Chile

A cidade tem mais de 40 morros.

 

No desembarque fui logo abordado por um homem que entregou um mapa turístico e passou algumas informações, tudo isso para depois oferecer um tour pago. A abordagem serviu para eu tomar meu rumo pois não sabia para que lado ir. Eu não tinha um roteiro, tinha somente a Plaza Sotomayor como referência para ir a outros lugares como subir o Cerro Concepción de ascensor, visitar a casa de Pablo Neruda ‘La Sebastiana’ e comer uma Chorrilhana no Casino Social J Cruz.

 

Valparaíso - Chile

É uma cidade portuária banhada pelo Oceano Pacífico.

 

O mapa serviu para eu traçar o meu caminho para chegar a Plaza Sotomyor, que ficava do lado oposto e distante a algumas quadras da rodoviária. Resolvi ir andando pela Avenida Pedro Montt (fica em frente a rodoviária) mesmo sabendo que sairia da rota várias vezes. Não consigo andar em uma cidade que não conheço sem ir parando no que chama a minha atenção. Vejo uma igreja e paro para conhecer (gosto de conhecer templos religiosos), vejo um monumentos históricos e lá vou eu ver o que é.  Sendo assim,  já imagina que demoraria chegar a tal praça.

 

Valparaíso - Chile

Catedral de Valparaíso, Nossa Senhora do Carmo.

 

A primeira parada foi logo em frente a rodoviária. Estava com fome – não havia tomado café – e aproveitei para comer e conhecer o ‘completo’ um lanche muito comum no Chile que parece o cachorro quente, só que tem um creme de abacate. Eu ainda não havia provado o ‘completo’ por causa do creme do abacate. Nas minhas lembranças de criança o abacate se comia puro com açúcar ou vitamina, mas com comida salgada jamais. Pedi com medo de não gostar, mas  gostei muito. Me arrependi de não ter comido antes.

 

Valparaíso - Chile

Arco Britânico na Avenida Brasil.

 

Vi a torre de uma igreja e lá fui eu saíndo da rota para conhecer a Igreja dos Sagrados Corações (já ouvi falar Sagrado Coração de Jesus ou de Maria mas assim no plural não conhecia). É uma Congregação Francesa e a igreja era o templo do Colégio desta congregação que funcionou no prédio que ocupa o quarteirão todo. A igreja é uma construção eclética grande e bonita com traços góticos, foi atingida pelo  terremoto de 1910 e em 2003 foi declarada como Monumento Histórico.

 

 

Valparaíso - Chile

Valparaíso tem como meio de transporte um moderno metrô, mas tem também estes ônibus elétricos (os trolebus) que funcionam desde 1952. São os únicos do Chile.

 

As informações negativas e a impressão inicial que tive da cidade fez com que eu andasse desconfiado. Enquanto fotografava a fachada da igreja, me assustei quando passou uma moça e falou alguma coisa comigo. Bobagem, ela só fez um convite para entrar no edifício do outro lado da rua, na sede do Santiago Wanderers, um tradicional clube de futebol da primeira divisão do Chile. Apesar de ser de Valparaíso, tem o nome de Santiago para diferenciar de outro que existiu na cidade. Como não sou ligado em futebol, provavelmente passaria direto se a moça não tivesse me convidado.

 

Valparaíso - Chile

Outro meio de transporte na cidade são os tradicionais ascensores ou funicular. Uma espécie de elevador que liga a cidade baixa a cidade aalta.

 

De volta ao meu itinerário cheguei a Plaza Victória onde está a Catedral de Valparaiso. Ela estava fechada e fiquei ali tirando umas fotos quando uma senhora simpática passou por mim e sugeriu que eu subisse os cerros e visitasse a La Sebastiana. Até orientou como chegar ao ascensor Espíritu Santo. As duas abordagens atenciosas desarmaram a minha postura recuada.

 

Valparaíso - Chile

Palácio Balbuzzira no cerro Alegre, abriga o Museu Municipal de Bellas Artes.

 

Andei mais um pouco ao redor da praça em direção ao oceano Pacífico para chegar próximo ao mar, mas não foi possível pois a linha do metrô de superfície barra o acesso. A região tem uns prédio bonitos, como a Biblioteca Santiago, que ao contrário de outros que vi, tem a fachada bem cuidada e não é pichada. Ela fica de frente para a avenida Brasil, uma avenida extensa que corta boa parte da cidade com canteiro central largo, com palmeiras e com o Arco britânico. Monumento doado pela comunidade britânica para comemorar o centenário da independência do Chile da Espanha.

 

Valparaíso - Chile

 

Fui para a cidade alta usando o ascensor Espíritu Santo, perto dali da Plaza Victória. Cidade alta em Valparaiso são os morros, que lá são chamados de cerros. São mais de 40 morros e em muitos deles tem os ascensores que são tipo elevadores inclinados que fazem a ligação com a cidade baixa. A primeira impressão foi de que não era seguro, era antigo e de madeira. Mas os ascensores já fazem parte da rotina dos moradores e virou um atrativo para os turistas.

 

O ascensor Espiritu Santo me levou ao Cerro Bellavista, subindo as ladeiras cheguei a casa do Pablo Neruda. Depois andei sem compromisso pelas ruas e becos, e só desci porque queria almoçar uma chorrilhana no Casino Social J. Cruz (leia AQUI como foi). Mas logo depois voltei para o morro. Desta vez fui aos Cerros Concepcion e Alegre, estes são mais turísticos com artesanatos, bares e recantos para curtir a vista.

 

Valparaíso - Chile

 

Quem visita Valparaiso e não sobe os cerros realmente vai ter uma impressão péssima e pode ficar decepcionado com a cidade. A parte baixa com poucas exceções não é atraente, é caótica com os prédios históricos pichados. A Valparaiso interessante está nos cerros. Diferente do comentário que ouvi em Santiago, os morros que visitei não pareciam favelas, alguns becos devido a geografia mas com ruas largas onde é possível transitar carros, limpos sem tumulto e não vi nada suspeito. Na verdade as ruas estavam quase vazias e silenciosas. Em vez de pichações tem grafites. Tem espaços culturais, museus, hospedagens, órgãos públicos, restaurantes e a melhor vista da cidade. Não foi atoa que o poeta Pablo Neruda escolheu ali para ter uma de suas residências, a La Sebastiana. Uma das atrações de Valparaiso.

 

Valparaíso - Chile

La Sebastiana, casa museu do poeta Pablo Neruda.

 

Pablo Neruda além de escrever gostava de construir casas. Teve três, em Santiago, Valparaíso e em Isla Negra. La Sebastina não construiu pois já estava em obra quando ele resolveu ter uma casa em Valparaíso para poder escrever tranquilamente, mas terminou a casa deixando –a do seu jeito. Além de La Sebastiana, visitei também a La Chascona em Santiago. As suas casas não são construções comuns e sim cheias de personalidade. Os cômodos não se repetem e cheios de objetos dos lugares que conheceu, são casas museu.  São 05 andares (escada) e a visita é feita com um autoguia com informações da cada cômodo. Veja mais informações AQUI como história, horários e valores. La Sebastiana foi construída com vista para o Oceano Pacífico, e que vista!

 

Valparaíso - Chile

Monumento aos Heróis de Iquique.

 

Finalmente cheguei a Plaza Sotomayor já no fim da tarde. A praça que seria o meu ponto de partida foi o meu ponto final. Uma praça movimentada, bonita com belos prédios. O da Armada de Chile (marinha) se destaca. No centro da praça está o Monumento aos Heróis de Iquique, homenagem aos que participaram da batalha naval durante a guerra do pacífico. Havia obras na praça, e não visitei nenhum monumento, só tomei um sorvete, muito bom por sinal.

 

Pois é, eu estava certo. Valparaíso é uma cidade interessante, basta querer descobrir esta cidade e ir sem preconceitos.

 

Valparaíso - Chile

 

 

Me programei para conhecer Valparaíso e Viña Del Mar. Então na estação de metrô em frente a praça embarquei com destino a Viña Del Mar. A viagem é rápida e o trajeto é bonito já que vai margeando o Oceano. Mas só quando cheguei a Viña Del Mar me dei conta de que estava muito cansado, fiz o passeio em Valparaíso todo andando, como de costume. Então só fui até a praia, mas não gostei. Estava ventando e não tive vontade de pisar na água do pacífico. Achei estranho ver gente na areia da praia com calça e sapato. Fui até o famoso relógio de flores, tirei uma foto e segui para a rodoviária para retornar a Santiago.

 

 

COMO IR DE SANTIAGO A VALPARAISO

Eu fui de ônibus. Estava hospedado no bairro Bellavista em Santiago, fui de metrô da estação Baquedano até a estação Pajaritos e lá segui a sinalização para o terminal rodoviário. Comprei as passagens de ida e volta lá na hora no guichê da Turbus. A viagem demorou um pouco menos que 02 horas. Comprei a ida para Valparaiso e a volta comprei saíndo de Viña del Mar. Como queria aproveitar o máximo, comprei a volta para às 20 hs (era verão e estava claro), mas fiquei cansado e resolvi voltar antes. Na rodoviária de Viña troquei a passagem sem problemas e ainda devolveram um valor em dinheiro que eu não tenho a menor ideia o motivo.

 

 

* Fui a Valparaíso em janeiro de 2015 quando fiz a minha primeira viagem ao Chile. Escrevi vários posts sobre a viagem, mas sobre Valparaíso fui deixando pra depois e só agora escrevi o meu relato.

2 comentários :

  1. Adorei seu blog! Irei ao Chile em dezembro . Vou aproveitar muito suas dicas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado. Que bom que gostou. Visite quando quiser e boa viagem.

      Excluir