ASSIM CAMINHA O TURISMO CAPIXABA


No feriado de sete de setembro eu estava acompanhando um grupo em Porto Seguro, e na cidade histórica ganhei cocadas de Dona Zezé, uma baiana que trabalha no local vendendo cocadas e vários produtos. Logo que cheguei com o grupo dona Zezé foi entregando as cocadas sem saber quantas o grupo compraria.

Na hora lembrei de uma situação que passei dias antes na cidade capixaba de Santa Teresa. Levei um grupo de 70 pessoas para almoçar em um restaurante local e o restaurante não ofereceu cortesia, eu e os motoristas pagamos o nosso almoço. O responsável falou que todos teriam que pagar e que o grupo estava atrapalhando os clientes dele. Porque então ele aceitou a reserva?

Nenhum restaurante é obrigado a oferecer cortesia para guias e motoristas, por isso que é "cortesia". Mas o atendimento aqui é tão diferente de outros destinos turísticos. Em meia hora o restaurante faturou mais de R$ 1000,00 e nós ainda estávamos atrapalhando ele?! Duvido se nesse mesmo tempo em um dia normal de semana ele fatura isso. A atitude desse empresário é igual a de tantos outros do turismo capixaba.

Neste tempo todo de blog eu nunca escrevi criticando o nosso turismo, não gosto de falar mal do turismo capixaba pois ele precisa de força e cada vez mais ser incentivado. Mas tem hora que fico revoltado com as coisas que acontecem, ou com as que não acontecem aqui.

Donos de restaurantes que acham que turistas atrapalham, estabelecimentos que não oferecem uma cortesia para o guia e motorista, mesmo o grupo consumindo ou comprando os seus produtos. Querem que levemos grupos, mas não querem nos receber.

Eu não trabalho em troca de um prato de comida não, trabalho em troca do pagamento do meu serviço (por isso não aceito qualquer valor), mas é legal ser bem tratado ainda mais quando levamos clientes para esses locais.

Fazer um Tour com ônibus aqui é terrível, temos atrativos e locais de importância turística sem espaço para receber ônibus ou simplesmente um lugar de desembarque das pessoas. É como se recebêssemos muitos turistas e se não precisássemos dos grupos que chegam de ônibus.

Aqui em Vitória é assim no Centro Histórico e no galpão das paneleiras de Goiabeiras, dois locais turísticos importantes na cidade. No Centro Histórico já teve local de embarque e desembarque e agora que aumentou a visitação não tem mais. Em Goiabeiras construíram um galpão novo para as paneleiras possibilitando um aumento na produção de panelas mas não pensaram  num espaço para os ônibus que levam os clientes. Como querem que levemos turistas nesses lugares?

Em cidades onde os turistas chegam todos os dias e não necessariamente em grupos, como na cidade de Gramado, eles não dispensam os ônibus e recebem muito melhor os guias e motoristas.

E as agências e operadoras? muitas delas telefonam falando que estão organizando uma viagem e pedem informações sobre lugares e roteiros, depois dispensam o guia com a desculpa de que não formou grupo, mas na verdade colocam outra pessoa qualquer da agência para acompanhar o pessoal. O que tem de dono de agência e funcionários no uso ilegal da profissão de guias não está no gibi.

Mas apesar de tudo o turismo capixaba está crescendo, a cada dia que passa recebemos mais turistas e quem sabe com o aumento as coisas não melhoram por aqui! quem sabe os empresários do setor não mudam a mentalidade? quem sabe o poder público não melhora os espaços de visitação?

É claro que não posso generalizar, isto seria uma injustiça. No último trabalho receptivo que fiz (mesmo com um grupo pequeno) fui muito bem tratado nos restaurantes que frequentei e neles voltarei com vários grupos.

0 comentários :