Indo atrás de uma Cave do vinho do Porto

Acordei mal nesse dia, a garganta doía, a voz quase não saia e corpo estava dolorido. Na verdade eu não acordei pois não dormi direito, no dia anterior eu comecei a ficar gripado. Nunca andei tanto na minha vida e o resultado é que a cada dia que passava eu sentia mais dores nos pés e pernas. Acho que isso somado com o clima diferente provocou esse mal estar.
 
Mas eu só tinha a parte da manhã em Porto pois à tarde eu seguia viagem para Madrid. E como no dia anterior eu voltei frustrado de Vila Nova de Gaia por não ter visitado uma cave do vinho do Porto, eu levantei logo da cama e sai. No caminho fui a uma farmácia e sai de lá com remédio pra gripe, pastilha para a garganta e descongestionante nasal.
 
Porto
 Para chegar até as Caves, vá pela rua do cais de Vila Nova de Gaia e siga a sinalização.
 
Cheguei a Vila Nova de Gaia e a principio iria visitar a Croft que me recebeu no dia anterior, mas no caminho mudei de ideia e resolvi conhecer outra. Fui então para a Taylor’s, estavam abrindo o centro de visitantes naquele momento. Não achei o centro de visitante tão interessante como o da outra e pensei até em sair de fininho dali. 
 
Não tinha nenhum grupo agendado, então eu fiz a visita no primeiro horário do dia. Eu faria a visita sozinho porém na começo da visita chegou um casal de americanos que não falava e nem entendia português. Então Amanda, a simpática e atenciosa guia, explicava primeiro em português e depois fazia um resumo em inglês. Durante a visita lembrei que o primeiro vinho  do Porto que bebi na minha vida foi da Taylor’s, coincidência depois de tantos anos eu visitar a sua cave.
 
A visita não é cobrada e termina com degustação de dois tipos de Vinho do Porto, todos os vinhos são vendidos no local. Fui muito bem atendido, valeu muito a pena ter voltado para fazer a visita.
 
 
Porto
Ruas de acesso às Caves com pequenas ladeiras.



Porto

Porto
 
Eu ainda tinha em mente visitar em Porto a igreja de São Francisco e o Palácio da Bolsa, mas não havia tempo pra as duas visitas. Optei pelo Palácio da Bolsa, cheguei ao local ao meio-dia e estava iniciando a visita em espanhol e francês. A visita em português só começaria ao meio-dia e meia, pra mim não daria tempo pois teria que voltar ao residencial para pegar a mochila e seguir para o aeroporto. Só consegui visitar o palácio porque entrei no grupo da visita em espanhol e francês. O pessoal do atendimento era muito simpático.
 
A guia da visita (o nome dela também era Amanda) era muito tranquila e falava devagar então consegui entender em espanhol e quando eu tinha alguma dúvida perguntava em português e ela respondia também em português. Infelizmente não podia tirar fotos dos vários salões que visitei, mas o salão que se destaca é o Salão Árabe em estilo mouro com riqueza de detalhes.
 
Sai dali correndo para estação de metro São Bento, fui pegar a mochila, voltei para o metro cheguei ao aeroporto às 14h30min. Almocei uma comida cara e horrível e esperei o meu voo pra Madrid. No aeroporto de Porto tem internet de graça e computadores a disposição.
 
 PortoIgreja de São Francisco em Porto.
 
No fim do dia cheguei a Madrid. Leia aqui como foi o meu primeiro dia em Madrid.

0 comentários :