URUGUAI E ARGENTINA: 2° dia:Chuí - Montevidéu - 12/08/06.



Após o café, fomos a aduana Brasileira para carimbar documentos e os passaportes dos estrangeiros. No grupo tinha estrangeiros. Em seguida fomos ao arroio Chuí bastante citado nas aulas de geografia, ele é um pequeno curso d'água que nasce no município de Santa Vitória do Palmar (RS) e corre inicialmente de norte para sul; atravessando o município de Chuí, muda sua direção para leste, marcando então a fronteira do Brasil com o Uruguai e desaguando no Oceano Atlântico junto à Praia da Barra do Chuí, outra vez no município de Santa Vitória do Palmar.



Depois das fotos no arroio Chuí fomos ao centro da cidade onde é separada da cidade Uruguaia de Chuy por apenas uma longa avenida com um canteiro central. Do lado do Brasil a avenida recebe o nome de Av. Uruguai com muitos uruguaios trabalhando no comercio brasileiro. E do lado do Uruguai a avenida recebe o nome de Av Brasil com os free-shops, que atraem a população brasileira de cidades próximas e de turistas em viagem a Punta del Este, Montevidéu ou Buenos Aires (nosso caso). Tem também o cassino pois no Uruguai o jogo é liberado. Portanto qualquer brasileiro pode atravessar uma avenida e jogar no Uuguai.

O grupo aproveitou para ir nas casas de cambio e lojas. Fui também trocar o meu Real pelo Peso Uruguaio e fiquei surpreso com a desvalorização da moeda Uruguaia, com 01 real comprava ( e ainda compra ) 10 pesos. Saímos do centro as 12 horas e logo em seguida paramos na fronteira para cuidar da nossa entrada no país vizinho. A migração foi bem demora, ficamos parados 01 hora, pois eles pediram cópias de todos os documentos da viagem.



Seguimos nossa viagem pela Ruta 9 (é o que chamamos aqui de BR ), uma estrada muito boa. O Uruguai é um país plano por isso viajamos em muitas retas. Com pouco tempo de viagem passamos por um lugar onde a estrada se alarga tonando-se também uma pista de pouso de avião para caso de emergência.


Mais adiante a esquerda pude avistar a Fortaleza Santa Teresa localizada na atual cidade de Castillos, Departamento de Rocha, no Uruguai. Considerada a mais expressiva do país, esta fortaleza inscreve-se no Parque Nacional de Santa Teresa, criado para protegê-la. Integrava a antiga linha raiana denominada como Linha de Castillos Grande (Tratado de Madrid, 1750) e tinha a função de guarnecer o desfiladeiro de Angostura, vizinho ao monte de Castillos Grande, cerca de vinte quilômetros ao sul da Lagoa Mirim. E logo à direita pude ver uma enorme lagoa conhecida como Laguna Negra.


1 hora e 30 minutos depois da fronteira, paramos para o almoço no "Parador Rocha", comida boa . Viajamos mais 1 hora e chegamos em Punta Del' Este, o balneário mais famoso do Uruguai pelo agito noturno, cassinos, restaurantes, prédios e casas de luxo, que representam bem o estilo extravagante da cidade. Paramos para fotos em frente ao famoso Conrad Hotel e Casino, considerado por muitos o melhor hotel do Uruguai, sendo além de um majestoso hotel, também o único cassino particular do Uruguai, sendo visitado por turistas do mundo inteiro. Depois fizemos um Tour panorâmico com o motoguia Ali Musa pela orla e fomos em seguida para a Punta Ballena.


Em Punta Ballena fica a Casapueblo uma enorme escultura criada e habitada pelo artista plástico Carlos Páez Vilaró, reconhecida mundialmente pela audácia de suas formas e fincada nas falésias junto ao mar. Milhares de visitantes percorrem anualmente as salas desse museu onde são exibidas pinturas, cerâmicas e esculturas do artista uruguaio. No final da tarde existe a cerimônia do sol, considerado um espetáculo natural incrível, acompanhado da citação de um poema de Pablo Neruda.

Aproximadamente mais 2 horas de viagem e chegamos na capital Uruguaia, Montevidéu. Fomos direto para hospedágem. Na primeira noite na cidade fomos em uma rua só de bares na região central, lugar bem movimentado e com bons preços.  

0 comentários :